Médico canta louvor para mulher horas antes de morrer por Covid-19

Medico canta para mulher internada com covid-19; paciente faleceu horas depois

Médico canta para mulher internada com Covid-19 no Piauí horas antes do falecimento
Médico canta para mulher internada com Covid-19 no Piauí horas antes do falecimento

O médico Matheus Rocha, de 24 anos, ao perceber que presenciava os últimos momentos de uma mulher internada com Covid-19, decidiu “tocar o coração” da paciente, como diz a letra da música, e cantou para confortá-la.

O momento foi registrado no Hospital de Corrente, no Piauí, nesta sexta-feira (11), por uma fisioterapeuta que acompanhava a cena. A mulher morreu horas depois, na madrugada de sábado (12).

No vídeo, o médico aparece sentando ao lado do leito da paciente e canta um louvor, em português, da música “Hallelujah”, de Leonard Cohen. A letra cantada pelo médico ficou famosa na voz da cantora Patrícia Souza.

Publicidade

Segundo Matheus, a paciente, uma mulher de pouco mais de 60 anos que não teve o nome divulgado, se emocionou durante a homenagem e tentou cantar junto com ele. O médico cantou mais algumas canções, até que a paciente adormeceu.

Ao G1, o médico disse que a situação da paciente era crítica, e que a equipe médica já esperava que ela não sobrevivesse.

“Foi muito emocionante. Ela ficou com os olhos marejados, cantou junto, teve sua experiência com o Divino,” afirmou o médico.

Música como abraço

Cantor de coral e filho de uma regente de coral, o jovem médico já havia usado a música para confortar pacientes em outras situações, como durante o período em que atendeu idosos, na ala de geriatria, e gestantes em maternidades.

“Na maternidade, a gente não só cantava como também dançava com as mães, para aliviar dores das contrações”, disse.

Além de servir como um abraço nos pacientes, para Matheus, a música também acalma e reaproxima a equipe médica, que também sofre com o cansaço e com a morte de pacientes.

“Quando a gente perde um paciente, a equipe inteira sofre. E como sofre junto, é bom que a gente se apoie. Quando a gente entende que fez tudo que era possível pelo paciente, passa a ver aquele momento como uma etapa daquela vida”, disse.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: