Mulher é atacada pelo marido muçulmano por seguir Jesus, em Uganda

Muçulmano ataca esposa com punhal por deixar o Islã para seguir a Cristo

Mulher é atacada pelo marido muçulmano por seguir Jesus, em Uganda
Muçulmano ataca esposa com punhal por deixar o Islã para seguir a Cristo. Foto – Divulgação

Uma mãe de sete filhos, de 37 anos, na aldeia de Bukoba B, distrito de Mayuge, na região oriental de Uganda, foi atacada pelo seu marido muçulmano por deixar o Islã para seguir a Cristo.

Segundo relatos de Salimati Naibira, à Morning Star News, em 4 de abril de 2021, ela ficou chocada ao ver seu marido e outros parentes se aproximando de sua igreja com varas e uma adaga (conhecida principalmente como espada somali).

“Eu vi meu marido, Ayubu Kairu, e alguns parentes entrarem no portão da igreja gritando ‘Allah Akbar [slogan jihadista’ Deus é maior ‘]’”, disse Naibira ao Morning Star News.

Naibira, que dias antes havia nascido de novo secretamente depois de ouvir o Evangelho, disse que o pastor e alguns anciãos da igreja tentaram protegê-la, mas foram dominados, e os agressores a forçaram a entrar em uma van e a levaram para uma floresta próxima.

“Começaram a me bater com paus, depois meu marido me cortou com a adaga na coxa e nas costas”, disse ela. “Só recuperei a consciência depois de várias horas.” Lembra, ela.

Um pastor que passava a encontrou deitada em uma poça de sangue por volta das 3 da tarde, e ele e outros levaram Naibira, ainda inconsciente, para uma clínica na cidade vizinha de Kityerera.

Em 5 de abril, funcionários do hospital conseguiram entrar em contato com uma amiga cristã de Naibira e, em 8 de abril, ela a buscou no hospital. Naibira então, foi levada para um local desconhecido se recuperando de feridas no rosto, coxa e costas.

A mulher disse à mídia que não vê como conseguir a custódia dos filhos, que têm de 4 a 17 anos. Ela disse que não pode voltar para casa. “Espero que meus filhos estejam bem”, disse ela.

A história da salvação de Naibira

De acordo com o MSN, Naibira visitou no dia 1º de abril de 2021 o local de trabalho da amiga na cidade de Kaluuba, contando como os médicos não conseguiram aliviá-la do sangramento menstrual intenso por quatro anos, disse ela.

Um evangelista cristão chegou, contou a ela sobre Cristo e perguntou se ele poderia orar por eles, disse Naibira. “Eu compartilhei com ele, o que me atormentava do fluxo de sangue que me incomodava por quatro anos”, disse ela.

“Ele disse que Jesus é um curador e que com Ele tudo é possível. Enquanto ele orava por mim, senti algo como uma energia elétrica tocando meu corpo.”

O evangelista também orou pelas necessidades de sua amiga, não identificada por motivos de segurança. Ao ouvir que o amor de Deus foi revelado, no sacrifício de Jesus Cristo pelos pecados, Naibira o recebeu como Senhor e Salvador, disse ela.

O evangelista disse a ela para visitar qualquer igreja próxima para ter comunhão e celebrar a ressurreição de Cristo no domingo de Páscoa, 4 de abril.

“Antes de deixar meu amigo, eu estava muito feliz”, disse Naibira. “À noite, tive o sonho de assistir a um filme de Jesus crucificado na cruz.” Ela então, acordou com uma sensação de que o fluxo de sangue havia parado, disse ela.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: