Muçulmano se entrega a Jesus após ser curado na África

Eu tinha recebido minha cura do Senhor, e não havia como voltar ao Islã, disse o muçulmano

O muçulmano Yacouba Sanou se entregando a Jesus na África
O muçulmano Yacouba Sanou, se entregando a Jesus, na África. Foto – Divulgação

O caminho para um muçulmano se tornar um cristão nem sempre é direto e suave, para um missionário local na África, que se entregou a Jesus após ser curado de um envenenamento, é um grande exemplo dessa jornada de fé.

O muçulmano Yacouba Sanou* havia ajudado seu pai, um curandeiro muçulmano tradicional, com magia negra desde criança. O conhecimento de feitiços e outras práticas, faziam parte de sua armadura e arsenal como um jovem ativo na política, mas o deixou indefeso contra um ataque venenoso de um oponente político.

“Meu corpo inteiro estava inchado e eu tinha dificuldade para andar”, disse Sanou. “Eu estava convencido de que morreria em breve, então saí de casa e viajei cinco horas de ônibus para ficar com minha irmã mais velha.”

Leia também:

+ Jovem muçulmano se entrega a Jesus após estudar a Bíblia

Uma amiga que visitava sua irmã, que também é muçulmana, ouviu falar de uma igreja local que orava pelos enfermos e, embora não fosse cristã. Ela então, convenceu sua irmã a levá-lo até essa igreja.

“Minha irmã acabou me levando de manhã bem cedo, para não ser vista. O culto começou, e então antes do tempo de oração por cura, alguém profetizou sobre mim, ‘Deus escolheu este homem para fazer Sua obra!’” Disse Sanou.

Mais tarde, os membros da congregação oraram por ele e, embora continuasse a sofrer, ele sentiu a presença de Deus pela primeira vez. Ele voltou nas semanas seguintes, recebendo orações várias vezes e se recuperando continuamente.

“Foi nessa época que decidi seguir a Cristo e, a partir de então, não pratiquei mais a magia do Alcorão. Quando meu pai soube que eu havia me tornado cristão, mandou pessoas para me fazer retratar, mas não podiam me forçar. Eu tinha recebido minha cura do Senhor, e não havia como voltar ao Islã”. Disse ele.

Por nove meses, ele se escondeu em outra aldeia, onde conheceu uma mulher muçulmana que mais tarde depositou sua fé em Cristo e se tornou sua esposa. Um ministério local deu-lhe treinamento pastoral e ele assumiu a liderança de uma igreja.

O líder do ministério disse que Sanou e sua esposa, passaram quatro meses em treinamento vocacional, onde ele aprendeu a dirigir um moinho de grãos e ela aprendeu a costurar. Então os enviou a uma aldeia em busca de uma “pessoa de paz”, uma presença acolhedora por meio da qual iniciar o ministério.

“Agradecemos a Deus que eles conseguiram identificar uma pessoa de paz em dois meses e começaram um estudo bíblico com sua família. Eles viram pessoas vindo a Cristo na casa da pessoa de paz.” Disse o líder do ministério.

Os moradores da região que antes tinham que percorrer grandes distâncias para moer seus grãos eram gratos pelo serviço de Sanou, e sua esposa também construiu relacionamentos e boa vontade ao ganhar uma renda adicional fazendo roupas femininas, disse o líder.

“Agora, pela graça de Deus, após 10 meses de ministério, há uma comunidade de crentes pela primeira vez nesta aldeia”, disse ele.

Estratégia Eficaz

O treinamento vocacional é estratégico para dar aos missionários locais acesso aos não alcançados em meio à pobreza generalizada, e é especialmente crucial em tempos de crise econômica agravada pela pandemia do coronavírus.

O ministério explica, que eles planejam enviar cerca de 90 missionários, cada um pelo menos parcialmente autossustentável com habilidades para gerar renda de pequenos negócios, para plantar igrejas na África Ocidental.

“O treinamento é muito estratégico, pois precisamos de trabalhadores bem treinados para fazer a colheita e, também, sem tal treinamento, os trabalhadores não seriam capazes de servir bem no campo”, disse o líder do ministério.

* Nomes alterados por razões de segurança

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: