Uma década de guerra alimenta o crescimento cristão na Síria

Apesar da guerra milhares de pessoas estão vindo a Cristo na Síria, relata um cristão

O pastor George esteve com sua congregação em Qamishli, Síria, durante anos de guerra
O pastor George esteve com sua congregação em Qamishli, Síria, durante anos de guerra. Foto – Divulgação

Esta semana marca os dez anos da guerra na Síria, desde que os protestos pacíficos contra o presidente sírio Bashar Assad, eclodiram em março de 2011, desencadeando uma revolta popular que rapidamente se transformou em uma guerra civil completa.

Apesar de uma década de combates e um país dividido, o crescimento dos cristãos continua no conflito que matou cerca de meio milhão de pessoas. A guerra civil que deslocou metade da população da Síria de 23 milhões, incluindo mais de cinco milhões de refugiados, a maioria em países vizinhos.

Também teve um impacto devastador sobre a população cristã do país. Caiu de dois milhões em 2010 para menos de 700.000 hoje. O cristão Ibrahim, que é um parceiro da agência de perseguição cristã Portas Abertas, se lembra do êxodo cristão.

Publicidade

Em suas lembraças, o cristão diz: “É muito difícil para mim andar pelos bairros cristãos da cidade e vejo uma casa onde moravam meus amigos e um lugar onde eu ia à igreja com a família”.

“Os cristãos conseguiram superar centenas de anos de perseguição na Síria, e esta guerra é tão negativamente única, que resultou em alguns lugares na perda de sua existência cristã. É muito agonizante e impactou os cristãos mais do que qualquer outra pessoa.”

A Síria agora está economicamente devastada e dividida em três partes. Um grupo ligado à Al Qaeda que domina a província de Idlib, no noroeste, com rebeldes apoiados pela Turquia controlando trechos ao longo da fronteira turca.

Longas filas para postos de gasolina e cotas de dois pacotes de pão por dia para as famílias mostram como o país está lutando pelo básico. As Nações Unidas afirmam que mais de 80 por cento dos sírios vivem agora na pobreza e 60 por cento correm o risco de passar fome.

No entanto, Ibrahim disse que a Igreja na Síria está mostrando grande resiliência enquanto trabalha para reconstruí-la. Ele tem grandes esperanças e sonhos para seu país e já está vendo Deus se movendo.

“A Igreja está ajudando a comunidade, está fazendo uma grande diferença e causando um impacto na comunidade. Muitas pessoas de religião majoritária, vieram para a igreja e foram ajudadas indiscriminadamente pela Igreja”, disse ele.

“A imagem que a Igreja transmitiu à comunidade síria é que você é aceito independente de sua afiliação étnica ou religiosa”. Explica.

“Pessoas de outras afiliações religiosas estão vindo a Cristo. Eles estão experimentando o amor de Cristo. A imagem de sua religião agora está distorcida por causa do que o ISIS e aquelas milícias brutais fizeram no país.

“Eles estão procurando pelo Deus verdadeiro, o Deus de amor. Muitas pessoas estão vindo a Cristo, especialmente no norte e no sul. As pessoas desejam encontrar e experimentar esse relacionamento com Deus. Portanto, somos menos em número, mas temos mais poder e paixão”. Acrescenta, ele.

Ibrahim disse que apesar dos muitos desafios que os sírios enfrentam, a igreja do Reino Unido e as organizações religiosas têm sido fundamentais para ajudar as pessoas a sobreviverem ao conflito.

Ele pediu orações contínuas enquanto os sírios tentam se recuperar da guerra.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: