Perseguição aos cristãos piora cada vez mais na China

A perseguição é agora tão severa quanto em qualquer época desde a Revolução Cultural de Mao

Perseguição aos cristãos piora cada vez mais na China
Cristãos são monitorados por câmeras de segurança na China. Foto – Divulgação

A perseguição dos cristãos na China é tão severa agora quanto durante a Revolução Cultural de Mao e piora cada vez mais, devido à crescente intolerância em Hong Kong e ao aumento da vigilância digital nas igrejas, alertou uma instituição de caridade.

Segundo a organização Release International, as autoridades na China tem intensificado sua repressão à Igreja chinesa, além de perseguir e prender os cristãos chineses sob a cobertura da pandemia de Covid-19.

Seu meio bilhão de câmeras de vigilância digital, são ligadas ao sistema de seguridade social, dando às autoridades chinesas o poder de deduzir o pagamento da previdência ou pensão dos chamados “infratores”.

Leia também:

Um ativista pró-democracia, Bob Fu, que agora está exilado nos Estados Unidos e trabalha com a instituição de caridade, disse:

“O autoritarismo digital é um desafio crescente. O Partido Comunista Chinês possui centenas de milhões de câmeras de reconhecimento facial em toda a China. Eles agora vigiam todas as esquinas, das quatro paredes dos edifícios da igreja e até dos púlpitos.”

Parceiros da Release Internationa, dizem que a perseguição é agora tão severa quanto em qualquer época desde a Revolução Cultural de Mao. Dada a repressão em curso em Hong Kong e contra o povo uigur, o aumento da perseguição durante o Ano Novo chinês parece inevitável.

“Não apenas vimos tentativas contínuas de erradicar o movimento da igreja doméstica, mas vimos a China tomar medidas cada vez mais extremas para fechar ou controlar suas igrejas oficialmente sansionadas, incluindo a demolição”. Disse Andrew Boyd, da Release.

Embora a maior parte da população uigur na China seja muçulmana e cristã esteja sujeita à perseguição, a Release International relatou o caso de Alimujiang Yimiti, um cristão uigur que, segundo ele, está sendo perseguido por sua etnia e sua fé. Ele foi condenado a 15 anos de prisão.

Mais de 200 presbíteros, pastores e diáconos da Igreja da Aliança Early Rain, em Chendu, foram presos. Seu pastor principal foi condenado a nove anos de prisão.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: