Massacre deixa 24 cristãos mortos no oeste da Etiópia

Massacre de 700 cristãos etíopes aponta para uma crise maior

Massacre de 700 cristãos etíopes aponta para uma crise maior
Massacre de 700 cristãos etíopes aponta para uma crise maior. Foto – Divulgação

No domingo, 7 de março, pelo menos vinte e quatro cristãos foram mortos, por militantes armados no oeste da Etiópia. O massacre foi seguido de um ataque, contra uma igreja cristã que se prepara para realizar um serviço religioso.

Os cristãos estavam participando de um serviço religioso na zona de Horo Guduru Welega (antiga província de Welega) na véspera da Quaresma da Etiópia, que começou em 8 de março.

De acordo com contatos locais, membros do grupo militante OLF Shenie, uma ramificação da Frente de Libertação Oromo considerada ativa no oeste e no sul de Oromia, cercaram a igreja e forçaram os membros da congregação a entregar seus telefones celulares.

Leia também:

Os homens armados mataram os dois ministros do lado de fora da igreja, segundo informa o Barnabas Fund, antes de levarem os outros cristãos para uma floresta próxima, onde eles também foram mortos.

Um relatório não confirmado do Serviço Amárico da BBC, disse que a igreja foi incendiada no ataque. O incidente foi confirmado por um oficial regional que disse que forças de segurança foram enviadas para a área.

Violência na Etiópia

Em 15 de dezembro, de 2020, as tropas federais etíopes e a milícia de Amhara atacaram a igreja de Mariam de Sião na cidade de Tigrayan. No ataque, pelo menos 750 pessoas foram mortas. O massacre foi detalhado no ‘Relatório de Situação’ de 9 de janeiro do, European External Programme Africa (EEPA).

O porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, disse que a crise na Etiópia mais ampla. “Estimamos que 2,3 milhões de pessoas precisam urgente de assistência humanitária em Tigray, incluindo 1,3 milhão de crianças. A luta localizada e a insegurança continuam.” disse Dujarric.

“Por favor, inclua a Etiópia em suas orações”, exortou um contato do Barnabas Fund que nos disse que os cristãos na região estão vivendo sob uma ameaça contínua de ataque violento. “… Os cristãos vivem com medo absoluto dia após dia”, acrescentou ele.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: