Filho de pastor mata 8 pessoas em casas de massagens nos EUA

Atirador em massa dos EUA disse que matou trabalhadores de casas de massagem para 'eliminar a tentação'

Suspeito de tiroteio em massa nos EUA é filho do pastor
Suspeito de tiroteio em massa nos EUA é filho do pastor. Foto – Divulgação

O filho de um pastor de 21 anos preso sob suspeita de atacar três casas de massagens no estado americano da Geórgia nos (EUA), disse à polícia que executou os disparos para se proteger da tentação sexual.

Robert Aaron Long, 21, que é acusado de matar oito pessoas a tiros – a maioria delas eram trabalhadoras de massagens asiáticas – disse às autoridades que era viciado em pornografia e planejava atacar mais salões na Flórida para tentar acabar com seus problemas.

“Nós o entrevistamos ontem à noite. Ele está atualmente em nossas instalações no Centro de Detenção de Adultos da Comarca de Cherokee”, disse na quarta-feira (17), o xerife Frank Reynolds da Comarca de Cherokee.

Publicidade

“Ele fez indicadores de que tem alguns problemas, potencialmente vício sexual, e pode ter frequentado alguns desses lugares no passado.” Disse, o xerife.

O capitão Jay Baker, do Departamento do Xerife do Condado de Cherokee, acrescentou que Long, que era um congregante da Primeira Igreja Batista Crabapple em Milton, Geórgia, “assumiu a responsabilidade pelos tiroteios”, mas negou que eles tivessem motivação racial.

“Ele afirma que não foi motivado racialmente. Ele aparentemente tem um problema com o que considera um vício em sexo e vê esses locais como algo que lhe permite ir a esses lugares”, acrescentou Baker. “É uma tentação para ele que ele queria eliminar. Esses são os comentários que ele fez”.

Baker observou que Long “estava bastante farto e meio no fim da linha” e que “foi um dia muito ruim para ele e foi isso que ele fez”.

“Esses locais, ele os vê como uma válvula de escape para ele, algo que não deveria estar fazendo … ele tinha um problema com pornografia e estava tentando acabar com essa tentação.”

Ele acrescentou: “Podem ser alvos de oportunidade. Acreditamos que ele frequentou esses lugares no passado e pode ter sido agressivo. ”

A prefeita de Atlanta, Keisha Lance Bottoms, disse que “muito provavelmente haveria mais vítimas” se a polícia não tivesse conseguido prender o suspeito.

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul confirmou que quatro das vítimas eram de etnia coreana. As autoridades disseram que seis dos mortos eram mulheres asiáticas.

Em Nova York, a polícia antiterror foi enviada para proteger as comunidades asiáticas ao redor da cidade após os tiroteios em Atlanta. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que ele e a primeira-dama, Dra. Jill Biden, estavam “mantendo em orações todos os impactados pelos tiroteios em Atlanta”.

“Ainda não sabemos o motivo, mas o que sabemos é que a comunidade asiático-americana está sentindo uma dor enorme esta noite”, acrescentou. “Os recentes ataques contra a comunidade não são americanos. Eles devem parar.”

A vice-presidente Kamala Harris acrescentou: “Quero dizer à nossa comunidade asiático-americana que estamos com vocês e entendemos como isso amedrontou, chocou e indignou todas as pessoas.”

Na quarta-feira, Long foi formalmente acusado de oito acusações de assassinato. Ele pode enfrentar a pena de morte por seus crimes.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: