Entenda porque os cristãos são atacados na Nigéria

Cerca de 1.900 cristãos e funcionários do governo na Nigéria, foram mortos por militantes do Boko Haram e Fulani somente em 2020

Entenda porque os cristãos são atacados na Nigéria
Cristãos são frequentemente atacados na Nigéria. Foto – Divulgação

Os recentes sequestros em massa e uma série de ataques contra os cristãos ao redor da Nigéria, estão servindo para aumentar o perfil na escalada da violência ignorada no país mais populoso da África.

A violência na Nigéria vem de várias fontes diferentes. Um é o grupo terrorista Boko Haram, que cresceu em poder destrutivo na última década. Agora dividido em duas facções, o Boko Haram parece estar voltando depois que seu território foi reduzido em 2015, também o ano em que jurou fidelidade ao Estado Islâmico.

O Boko Haram foi responsável por dezenas de incidentes apenas nos primeiros dois meses de 2021. Na véspera de Natal, pelo menos 11 cristãos, foram mortos em ataque do grupo terrorista Boko Haram, na Nigéria.

O grupo terrorista anos atrás, ajudou a iniciar o que agora é um padrão bem estabelecido de sequestro de crianças em idade escolar para obter resgate quando sequestrou 276 meninas, em sua maioria cristãs, de uma escola em Chibok.

Mais de 100 dessas meninas ainda estão desaparecidas. No entanto, os cristãos já foram atacados em grande escala em 2021, embora se acredite que tenham sido executados por bandidos pouco organizados, e não por Boko Haram.

Outra fonte de violência na Nigéria, são os militantes radicais Fulani. Eles são de um grupo étnico predominante muçulmano que frequentemente está em conflito com os cristãos e atacam as comunidades agrícolas cristãs.

A origem dos chamados conflitos entre agricultores e pastores podem variar de desprezo percebido a disputas sobre o uso da terra e religião, mas seja qual for a origem, os ataques Fulani muitas vezes levam à dizimação de aldeias cristãs e locais de culto.

Cerca de 1.900 civis e funcionários do governo foram mortos por militantes do Boko Haram e Fulani somente em 2020, de acordo com a análise do ICC. Grande parte da violência está concentrada em áreas de maioria cristã da região do Cinturão Médio.

Embora a maior parte da conversa sobre a violência na Nigéria se concentre no problema apresentado pelo Boko Haram, a análise do ICC conclui que a maioria das mortes de civis e funcionários do governo em 2020 aconteceram nas mãos de militantes Fulani, em vez de terroristas do Boko Haram ou grupos de bandidos.

Apesar deste fato, o governo da Nigéria continua a ignorar amplamente a crise Fulani em favor da ameaça terrorista mais facilmente definida representada pelo Boko Haram e da ameaça criminosa mais simples representada por bandidos vagamente definidos.

A International Christians Concern, diz que isso deve mudar e um entendimento preciso do problema colocado pelos militantes radicais Fulani deve ser alcançado para que a população cristã da Nigéria, seja adequadamente protegida.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: