Como vivem os cristãos perseguidos na China

Apesar da perseguição a comunidade cristã na China continua crescendo

Como vivem os cristãos perseguidos na China
Como vivem os cristãos na China. Foto – Divulgação

Apesar da perseguição que os cristãos chineses vivem, a igreja na China continua a ter um forte crescimento. A crescente comunidade cristã da China, está atualmente em torno de 97,2 milhões.

Com a política de “sinicização” implementada em todo o país, já que o Partido Comunista confia fortemente na identidade cultural chinesa para permanecer no poder e limita tudo o que percebe como uma ameaça ao seu controle sobre a sociedade.

Os cristãos chineses, além de perseguidos vivem sob várias restrições na internet, mídia social e organizações não governamentais, e regulamentos de 2018 sobre religião são estritamente aplicados e limitam seriamente a liberdade.

Publicidade

A perseguição está piorando cada vez mais, igrejas estão sendo monitoradas e fechadas, sejam elas independentes ou parte do Movimento Patriótico das Três Autônomas, a igreja protestante oficialmente sancionada na China.

E não é apenas a introdução de novas leis que afetam a vida dos cristãos chineses, também a implementação mais rígida de leis já existentes como por exemplo; a proibição de vendas online de Bíblias.

Em um nível mais local, se um convertido do islamismo ou budismo for descoberto por sua comunidade e família, é provável que enfrente ameaças e danos físicos tudo em um esforço para reconquistá-lo.

Os cônjuges podem ser forçados a se divorciar. Os vizinhos junto à comunidade podem até relatar a prática de atividades cristãs às autoridades, que podem tomar medidas para impedi-las.

O que mudou na China?

  1. População: 1,4 bilhão
  2. Cristãos: 97,2 milhões
  3. Religião: Budismo, cristianismo, ateísmo, islamismo, hinduísmo, judaísmo e religiões étnicas
  4. Governo: Estado comunista
  5. Líder: Xi Jinping
  6. Posição: 17º na Lista Mundial da Perseguição

A intensa pressão exercida cada vez mais sobre os cristãos pelo governo significa que a China saltou seis lugares na lista da Portas Abertas. Em apenas três anos, o país subiu 26 lugares, refletindo uma situação em rápida deterioração para os cristãos no país.

Está ficando cada vez mais difícil para os cristãos ter que se alinhar com a ideologia oficial, mesmo para igrejas filiadas ao estado. Muitas igrejas estão sofrendo com o controle rígido do estado se reorganizaram e se dividiram em grupos menores.

Uma tática que nem sempre os salvou de intrusões. Há relatos de cristãos, que autoridades usaram a pandemia Covid-19 para manter as igrejas fechadas, mesmo depois de não ter sido mais necessário por motivos de saúde.

Houve um aumento nos ataques e assédio a cristãos individuais e comunitários. Milhares de igrejas foram danificadas ou destruídas, em uma campanha que se espalhou por quase todas as regiões do país. As cruzes também foram removidas das igrejas.

Enquanto isso, as leis sobre a regulamentação da religião, introduzidas em fevereiro de 2018 e aprimoradas em fevereiro de 2020, continuam a ser implementadas em um número maior de províncias chinesas.

Há relatos de que cidadãos que são recompensados com dinheiro por divulgar informações sobre cristãos às autoridades. Isso reflete a determinação do Partido Comunista de exercer seu controle sobre todas as áreas da vida.

Deve ser lembrado que a China é vasta, e as especificidades da vida para os cristãos podem ser muito diferentes em várias partes do país. No entanto, a situação para os cristãos piorou em todo o país.

Quem é mais vulnerável à perseguição?

Os convertidos de origens muçulmanas ou budistas provavelmente enfrentam a perseguição mais forte na China. Isso é conduzido por suas famílias e comunidades locais.

Os cristãos protestantes estão mais concentrados nas províncias de Henan e Zhejiang, e os cristãos católicos são numerosos em Hebei. No entanto, os cristãos enfrentam restrições e monitoramento em toda a China, com incidentes relatados em quase todas as províncias.

Ore pelos cristãos perseguidos na China

  • Peça ao Senhor para dar aos líderes da igreja sabedoria, discernimento e orientação enquanto lideram congregações à luz do aumento das restrições e vigilância.
  • Levante em oração todos os que deixaram sua religião anterior para seguir a Jesus. Ore para que eles sejam protegidos contra danos, fortalecidos em sua fé e capacitados em seu testemunho.
  • Peça ao Senhor para abrir os olhos de quem tem autoridade para o poder e a beleza inigualáveis ​​do evangelho.
Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: