Técnico de futebol demitido por sua fé luta a cinco anos na justiça

O ex-técnico Joe Kennedy foi demitido de uma escola em 2015 por se ajoelhar ao final de cada jogo quando ele fazia uma oração de agradecimento.

Ex-técnico de futebol demitido por orar em campo luta há cinco anos na justiça
Ex-técnico de futebol demitido por orar em campo luta há cinco anos na justiça. Foto – Divulgação

Um técnico de futebol cristão que foi demitido por orar publicamente após cada jogo, luta há cinco anos na justiça contra o caso. O treinador Joe Kennedy, foi despedido de uma escola em Washington (EUA).

Em 2015, o técnico de futebol Joe Kennedy ganhou as manchetes quando a Bremerton High School, o despediu por sua fé e oração em público. Joe se tornou um treinador em 2008 e prometeu honrar a Deus após cada jogo. Assim, durante anos, ele se ajoelhou no meio do campo e orou em público.

“Antes de treinar meu primeiro jogo, em 2008, assumi um compromisso com Deus de que agradeceria a cada partida. Ganhar ou perder, pela oportunidade de ser treinador de futebol e pelos meus jogadores”. Fiquei inspirado para fazer isso depois de assistir ao filme “Facing the Giants”. Conta.

Leia também:

“Durante sete anos, depois de cada jogo, eu me dirigia para o centro do campo e joelhava e fazia uma breve oração de agradecimento”. Disse, Joe.

Mas esse ato de gratidão a Deus custou-lhe o emprego. O distrito escolar que o contratou o fez escolher entre sua fé e trabalho. O Distrito Escolar aparentemente o impediu de orar publicamente no meio do campo.

“Fiquei muito feliz em cumprir essa diretriz e esclareci que eu oraria sozinho. No entanto, o distrito escolar emitiu uma nova política e disse que eu não poderia orar onde outras pessoas pudessem me ver ”, disse ele.

“Eles se ofereceram para permitir que eu orasse apenas se fosse em um lugar onde ninguém pudesse me ver. Isso me fez sentir como se minha fé fosse algo que eu deveria esconder por vergonha”, ressaltou.

“Eu teria dado minha vida defendendo a liberdade religiosa de qualquer americano, mas mesmo assim esse direito me foi negado. Isso parecia errado e injusto.” Disse, Joe.

A luta continua

E até hoje, o aposentado da Marinha dos EUA continua lutando na justiça, por seus direitos constitucionais. Ele também explicou em um artigo o que estava passando. O First Liberty Institute está ajudando Joe a levar seu caso adiante. Eles enviaram uma carta ao distrito escolar lembrando-os dos direitos constitucionais de Joe.

“Com a ajuda da First Liberty, abri uma ação contra o distrito escolar de Bremerton, mesmo sabendo que não seria fácil. Meu caso começou no tribunal distrital, depois foi para o Tribunal de Apelações dos EUA e, finalmente, chegou ao Supremo Tribunal dos EUA ”, disse ele.

Para Joe, desistir nunca é uma opção. Ele diz que “violaria tudo que tentei ensinar aos meus jogadores”. Além disso, ele também se lembrou de seu compromisso com Deus, por isso vai continuar a lutar.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: