Mais de 70 cristãos foram expulsos da Turquia nos últimos 2 anos

Os casos envolvem cristãos estrangeiros da Grã-Bretanha, Alemanha, África do Sul, Coreia do Sul e Estados Unidos, entre outros.

O pastor Zach Balon e sua família foram expulsos da Turquia
O pastor Zach Balon e sua família foram expulsos da Turquia. Foto – Divulgação

Segundo à Christian Solidarity Worldwide (CSW), mais de 70 cristãos estrangeiros já foram expulsos da Turquia, desde o início de 2019. Os casos envolvem cidadãos da Grã-Bretanha, Alemanha, África do Sul , Coreia do Sul e Estados Unidos, entre outros.

A maioria desses cristãos foram expulsos da Turquia, depois de participar de dois seminários de treinamento anuais no final de 2019 e inicio de 2020. Um sobre trabalho com crianças e outro para liderança da igreja, e ambos ocorreram na Turquia antes do advento de Pandemia do Covid-19. Alguns dos alvos residem na Turquia há décadas.

Em vários casos, os estrangeiros foram impedidos de reentrar no país após terem viajado para o estrangeiro. Em outros, os vistos ainda válidos foram revogados e cancelados ou não renovados, incluindo pelo menos uma pessoa com autorização de trabalho permanente.

Publicidade

Leia também:

Os  cristãos parados na fronteira, ao entrar ou sair, são informados de que possuem um código N-82 no arquivo que os impede de entrar novamente sem autorização prévia. Até o momento, nenhum dos cidadãos estrangeiros protestantes com o código N-82 recebeu visto após receber o código N-82.

O processo de contestar o aplicativo do código N-82 é problemático e mutas da vezes têm a última análise, inconclusiva. Os cristãos visados ​​e seus advogados geralmente não têm acesso aos arquivos do caso, pois as designações são baseadas em dossiês secretos da Organização Nacional de Inteligência.

Fontes da CSW relatam que no único dossiê disponibilizado até o momento, é de um cristão estrangeiro que foi acusado de se envolver em atividades evangelísticas. No entanto, essas ativiadades que são de fato permitidas pela constituição.

Os recursos judiciais falharam em todos os níveis locais e em recursos. Além disso, de acordo com as fontes da CSW, o Tribunal Constitucional (Anayas Mahkemesi) parece estar realizando revisões rápidas de casos envolvendo o Código N-82 antes de rejeitá-los sumariamente.

Embora os cidadãos cristãos estrangeiros, visados estivessem confiantes de uma reparação por meio da constituição turca, eles não tiveram alternativa a não ser apelar para o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

O presidente da CSW, Mervyn Thomas, lamenta: “Embora oficialmente um estado secular, a Turquia continua a violar o direito à liberdade de religião e crença para comunidades religiosas não sunitas”.

Mervyn Thomas, acrescenta que o Código N-82. e o tratamento arbitrário de estrangeiros cristãos, muitos dos quais consideram a Turquia como seu lar, constitui uma grave violação dos direitos e liberdades, no Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: