China doutrina crianças nas escolas para odiar a Deus

Essas crianças puras e inocentes foram ensinadas a odiar a Deus, disse uma mãe cristã de um aluno do ensino primário

Escolas na China ensina crianças a odiar a Deus
Um professor supervisionando alunos na escola primária Yang Dezhi na China. Foto – Divulgação

O regime comunista da China está tomando mais medidas para doutrinar crianças pequenas em escolas, para “odiar a Deus” e adorar o ditador Xi Jinping. Os relatos são da Bitter Winter, uma revista sobre liberdade religiosa e direitos humanos em China.

De acordo com os Regulamentos do regime sobre Assuntos Religiosos, crianças em idade escolar foram doutrinadas durante anos para denunciar membros da família que defenda pontos de vista cristãos.

Segundo o Epoch Times relata, que o Partido Comunista Chinês (PCCh) está escalando seus esforços para preparar os jovens na China, para ter as idéias e pensamentos ancorados no ateísmo.

Leia também:

“Antes de começar a escola, contei a meu filho sobre a criação de Deus e ele acreditou. Mas depois de ser ensinado na escola, meu filho é uma pessoa diferente. Na China ateísta, essas crianças puras e inocentes foram ensinadas a odiar a Deus”. Disse, uma mãe cristã anônima na China, à Bitter Winter.

As crianças recebem um livro chamado “Moralidade e Sociedade”, que fala mais sobre Xie jiao.

A Bitter Winter, citou um caso em que uma mãe cristã encontrou um folheto com o filho sobre o cristianismo. A criança preocupada avisou sua mãe: “Minha professora diz que o Cristianismo é um Xie jiao, culto maligno”. Se você acreditar nisso, vai sair de casa e não cuidar de mim. Você pode colocar fogo em si mesmo também.

O menino então tirou um livro de “Moralidade e Sociedade” de sua bolsa e folheou as páginas que mencionavam Xie jiao e como resistir a tais grupos, acrescentando que sua professora havia dito que os grupos Xie jiao são “terríveis”. Influenciado pelo que foi doutrinado, ele pediu à mãe que rasgasse o folheto.

A expressão chinesa xie jiao é traduzida em documentos oficiais chineses para o inglês como “cultos” ou “cultos do mal”. A tradução, porém, está errada e está ligada a uma tentativa de argumentar que o problema dos “cultos” não é apenas chinês, mas internacional.

A mãe cristã, na esperança de não agravar as tensões, escondeu todos os itens religiosos em casa. No entanto, um mês depois, o filho encontrou novamente um panfleto religioso e cutucou-o com uma faca de frutas, fazendo vários buracos enquanto ameaçava sua mãe desistir de sua fé, enfatizando que “o cristianismo é um xie jiao” e ela “não deve acreditar iniciar.”

Chocada com o comportamento agressivo do filho, ela disse: “Antes de entrar na escola, contei a meu filho sobre a criação de Deus e ele acreditou. Mas depois de ser ensinado na escola, meu filho é uma pessoa diferente. Na China ateísta, essas crianças puras e inocentes foram ensinadas a odiar a Deus.”

Uma professora de jardim de infância anônima disse à Bitter Winter: “As crianças acreditam mais em seus professores, então o governo está nos fazendo doutriná-los com essas ideias”.

“É claramente para fazer as crianças rejeitarem a fé desde tenra idade”, acrescentou a professora. “Eles ainda são jovens e não entendem tudo. Não quero fazer isso, mas não tenho escolha: para atender às exigências do governo, tenho que passar por essas formalidades ”.

Segundo à Bitter Winter, o PCCh se esforça para eliminar o cristianismo e comunidade de fé porque é uma ameaça ao regime de Xi. Existem mais cristãos na China do que membros do Partido Comunista, e essa realidade não se coaduna com o partido.

A China e classificada na 17º posição na Lista Mundial da Perseguição 2021 (LMP), da Portas Abertas de países onde os cristãos sofrem mais perseguição. Continue orando pelos cristãos perseguidos em toda a China.