Atriz cristã demitida por post no Facebook perde processo na justiça

Atriz cristã britânica Seyi Omooba
Atriz cristã britânica Seyi Omooba, foi demitida por postar sua visão cristã no Facebook. Foto – Divulgação

Uma atriz cristã britânica que foi demitida perdeu seu processo judicial contra um teatro que  por causa de um post no Facebook, que ela escreveu sobre homossexualidade quatro anos antes.

Um tribunal concluiu que o teatro a retirou do papel da atriz cristã, Seyi Omooba, devido à forte reação e publicidade negativa às suas opiniões, e não por causa das próprias opiniões religiosas, acrescentando que temem pelo sucesso da peça.

Seyi Omooba deveria interpretar Celie em The Color Purple, que às vezes é retratada como uma personagem lésbica. Ela foi demitida em 2019 quando foi descoberto que ela escreveu nas redes sociais em 2014.

O post no Facebbok

“Não acredito que você possa nascer gay e não acredito que a homossexualidade seja certa, embora a lei desta terra tenha tornado isso legal, não para consertar.” Escreveu, ela na rede social à época.

A atriz de 26 anos abriu um processo por cerca de £ 128.000, cerca de quase (seicentos mil reais) contra a comapanhia de Leicester Theatre Trust e seus ex-agentes, Global Artists, por retirá-la da peça.

Suas alegações de discriminação, assédio e quebra de contrato foram rejeitadas pelo painel do Central London Employment Tribunal. Em seu julgamento, o painel rejeitou a sugestão de que sua demissão pelo Leicester Theatre Trust foi devido à discriminação contra suas crenças religiosas.

A audiência virtual do Tribunal da Justiça Trabalho de Londres, ouviu que uma tempestade de comentários adversos surgiu nas redes sociais, e os donos do teatro ficaram preocupados com a velocidade e selvageria da reação.

Ela foi apoiada no caso pelo escritório cristão de advocacia, Christian Legal Centre, que foi fundado por seu pai, o pastor Ade Omooba.

A diretora do Christian Legal Centre, Andrea Williams, disse ao site Premier Christian News, que os juízes e advogados não entenderam o que ela quis dizer e que o julgamento foi “um ataque a Jesus Cristo”.

Deve preocupar os cristãos em todos os lugares, que alguém que realmente acredita no casamento, fala dele e fala sobre ele, pode ter suas palavras jogadas contra sua posição distorcida, como era no tribunal.

O tipo de coisas que ouvimos na mídia, e até mesmo nos julgamentos, simplesmente não funcionam de acordo com a verdade e de acordo com o que a atriz, Seyi estava tentando comunicar.

“Na verdade, é um ataque a Jesus Cristo, que é o Rei dos reis e Senhor dos senhores. É um ataque à sua verdade, é um ataque ao seu belo padrão para a sociedade.” Disse, Andrea.

A peça de teatro “The Color Purple” conta a história de Celie, uma pobre e abusada mulher afro-americana nos Estados Unidos na década de 1930. Conforme a história avança, ela desenvolve um relacionamento íntimo com uma cantora de blues.

O painel disse que a decisão do teatro foi tomada como resultado da reação e do efeito que isso teria no sucesso da peça. A atriz Omooba, no julgamento disse a seus agentes que ela não faria um papel gay ou faria cenas sexualmente explícitas, o tribunal ouviu.

Afirmou que a demissão se deveu ao efeito da publicidade adversa do retuíte do post, sem modificação ou explicação, sobre a coesão do elenco, a recepção do público, a reputação dos produtores, e idoneidade e o sucesso comercial da produção.

Eles argumentaram que ela participou de uma produção semelhante, ela tinha o roteiro, e sabendo que um relacionamento lésbico era pelo menos uma interpretação, ela deveria ter considerado muito antes se uma linha vermelha deveria ser ultrapassada.”

Uma declaração do Curve Theatre disse: “Seyi Omooba aceitou um papel lésbico em nossa produção de The Color Purple sabendo muito bem que ela se recusaria a desempenhar esse papel gay icônico como homossexual.

“Acreditamos que o caso não tinha mérito desde o início e nunca deveria ter sido levado ao tribunal.” Disse, a companhia de teatro.