Pastor é condenado a 5 anos de prisão na China

China condena pastor a cinco anos de prisão e pagar uma multa, por ter recusado remover a cruz de sua igreja na província de Henan na China.

Pastor Li Juncai condenado cinco anos de prisão na China
Pastor Li Juncai foi condenado a 5 anos de prisão na China. Foto – Divulgação

O pastor Li Juncai da Igreja de Zhongxin, província de Henan na China, foi condenado a cinco anos de prisão, e pagar uma multa, por ter resistido à remoção de uma cruz em sua igreja, no condado de Xinxiang.

O pastor Li foi detido pela primeira vez pelas autoridades locais em 20 de fevereiro de 2019, junto com três outros cristãos de sua igreja: Wu Raoyun, Bai Yun e Ma Yanfang, após ser acusado de interromper o serviço público.

Quando o governo de Henan removeu cruzes em toda a província, o pastor Li manteve sua posição e se recusou a deixá-los seguir seu caminho. Ele também lutou contra a instalação de uma plataforma para hastear a bandeira em sua igreja e a substituição do sinal de “Ame Deus, ame as pessoas” por “Ame [seu] país, ame [sua] religião”.

Publicidade

Leia também:

De acordo com a China Aid, o pastor Li foi condenado por 1) desfalque, 2) obstrução da administração governamental e 3) destruição de registros contábeis. No entanto, Li Chao, filho do pastor Li, afirma que as autoridades do PCC fabricaram todas as acusações contra seu pai.

Igreja do pastor Li Juncai província de Henan na China
Igreja do pastor Li Juncai, na província de Henan na China

Li Chao, filho do pastor, expica que em retaliação por ele ter tomado uma posição contra a demolição da cruz da igreja pelo PCCh, e a supressão das igrejas domésticas pelo governo para aumentar seu controle sobre a religião.

Estima-se que a província de Henan tenha uma população cristã de vários milhões. De acordo com a The Amity Foundation, Henan ocupa quase ¼ da população cristã do país. Alguns comentaristas estrangeiros a chamam de “Galiléia da China”.

A partir de 2018, as autoridades da província começaram a reprimir as igrejas, na esperança de reduzir significativamente o número de igrejas e cristãos.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: