Mulher hinduísta que zombava de cristãos aceita Jesus na Índia

Deepa Srinivas costumava realizar rituais e sacrifícios aos deus hindus
Deepa Srinivas costumava realizar rituais e sacrifícios aos deus hindus. Foto – Divulgação

A indiana Deepa Srinivas, apeasar de ser casada com um cristão, ela zombava dos cristãos na região de Andhra Pradesh, na Índia. A mulher que era hinduísta, nunca teve interesse pelo cristianismo, religião de seu marido.

“Na minha aldeia, ainda hoje, o cristianismo é tratado com muita zombaria e humilhação”, disse Deepa em um vídeo do projeto 100Huntley. “Naquela época, nunca gostei de me conectar com cristãos ou com o cristianismo”.

Era por isso que ela realizava rituais intermináveis ​​para o panteão hindu (grupo de deuses) adorado por sua família.

Publicidade

Leia também:

“Minha família vem de uma forte formação religiosa hindu com muitas tradições”, diz ela. “Meus pais adorariam muitos ídolos. Eu costumava pensar que se eu realizasse rituais, algo de bom aconteceria comigo e minha família. Sempre que eu costumava ver uma árvore, costumava me curvar a ela e orar, mesmo que fosse na estrada”.

Mesmo ela casada com um cristão, ela nunca teve a intenção de adotar sua religião. Mas Deus a surpreendeu, no entanto, permitindo que ela fosse testemunha de vários milagres. Um deles aconteceu com uma garota que espalhou boatos sobre ela.

Deepa tentou ajudá-la. Essa garota era esteticista, mas precisava de clientes, então Deepa a colocou em contato com algumas pessoas.

Mordendo a mão que a alimentava, a esteticista espalhou boatos sobre Deepa, fazendo com que ela perdesse todas as amigas. “Fiquei sozinha”, diz Deepa. “Eu estava muito chateada e não estava muito feliz com aquela garota naquele momento”.

Por causa de seu marido, Deepa acabou tendo contato com algumas igrejas e um pastor ligou aleatoriamente para ela um dia e profeticamente perguntou se ela estava se sentindo ansiosa.

“Fiquei surpresa e perguntei: Deus pode falar com alguém sobre mim?” Surpresa com a percepção de seu coração, ela compartilhou sua desilusão com aquele líder cristão. Contou ela.

O pastor respondeu: “Se você ama alguém que também ama você, então não é nada demais. Qualquer um pode fazer isso. Mas se você ama alguém que não ama você, isso é agradável aos olhos de Deus”.

“Fiquei chocada”, admitiu ela.

A verdade das Escrituras entrou em conflito com tudo que ela conhecia do hinduísmo e da cultura indiana.

“Então, eu pensei: ‘OK, Senhor, eu não sei muito sobre você. Quem quer que tenha me machucado e me causado essa dor, como aquela garota, deveria vir e se desculpar no dia seguinte às 6:00 da manhã”.

O ponto da virada

E assim, Deus respondeu à sua oração, levando aquela garota até à porta de Deepa, às 6h da manhã para se desculpar.

Apesar de todos os seus esforços para obter os favores dos deuses hindus que ela adorava, nada do que ela já havia feito levou a uma resposta tangível das divindades. Agora, uma oração simples e tão curta, sem nenhum sacrifício ou ritual específico, foi respondida de forma surpreendente.

“Nunca havia recebido na minha vida, desde a infância, uma resposta de Deus como esta. Este foi o ponto de virada da minha vida”, explicou.

Sua visão de mundo desabou. Anteriormente, ela era levada a realizar rituais sem fim para agradar os deuses e se livrar das maldições. Ela nunca tinha conhecido o Deus do conforto.

“‘Não temas’ foi o que Deus me disse”, contou Deepa. “Eu nunca vi outro deus dando o conforto que Ele me deu. Eu costumava andar longas distâncias em sacrifícios e rituais aos deuses. Eu costumava fazer rituais em que oferecia 108 tipos diferentes de flores, porque pensava que só se eu fizesse todas essas coisas, Deus me amaria”.

O amor de Deus que enviou Jesus à cruz para salvar Deepa tornou-se convincentemente real para ela.

“Mesmo se eu não fizer tudo isso, Ele ainda vai me amar”, diz Deepa. “Não importa o quanto eu O magoe, Ele ainda me amará. Quando o aceitei de todo o coração em 2012, foi aí que ocorreu o ponto de virada da minha vida. Eu nunca olhei para trás depois disso até hoje”.

Agora, marido e mulher lideram uma igreja, Baruch Adonai Ministries, em Hyderabad, Índia

“Todos nós vivemos como uma família”, diz ela. “Não sentimos que estamos dirigindo uma igreja e todos eles são membros da nossa igreja. Compartilhamos uma espécie de felicidade e alegria como uma família e todos eles são meus filhos”.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: