Mulher abusada na adolescência, diz que Jesus foi sua libertação

Como parte de seu processo de libertação, ela teve que perdoar os homens que abusaram dela.

Mulher abusada na adolescência, diz que Jesus foi sua libertação
Mulher abusada na adolescência, diz que Jesus foi sua libertação. Foto – Divulgação

Aos 12 anos, Rachael Havupalo foi atraída por dois meninos para um local onde foi estuprada por eles. “Eu me senti tão suja”, testemunha Rachael em um vídeo da CBN News, sobre seu passado de dor e sofrimentos após sofrer o abuso.

“Eu me senti tão contaminada. E eu senti como se toda a inocência que eu já tive tivesse sido tirada de mim. Isso esmagou meu coração. Isso quebrou minha confiança nos homens e nas pessoas”, relata.

Os culpados foram capturados e punidos. Mas isso não trouxe nenhum consolo para Rachael, que sofria emocionalmente com a situação vivida.

Leia também:

Jovem deixa lesbianismo e aceita Jesus após louvor na igreja

Aos 14, ela começou a se cortar e a adquirir um estilo de vida gótico. Ela se envolveu com a Wicca e fantasiava sobre a morte. “Por dentro, eu me sentia tão morta e entorpecida”, conta ela. “Eu realmente queria morrer.”

Envolvimento com drogas

Durante sua adolescência até os 20 anos, Rachael usou drogas e cumpriu pena na prisão pelo seu vício. Aos 21 anos, ela teve uma filha e tornou-se mãe solteira. Rachel foi casada brevemente e o relacionamento terminou em divórcio. Depois, ela perdeu a custódia do filho.

Infelizmente, sua resposta ao trauma foi se automedicar com metanfetamina. “Meu coração estava realmente partido”, diz Rachael. “Sentia um vazio que é indescritível.”

Mais violência

Um dia, ela visitou uma “amiga”, que a trancou e a drogou com heroína e a estuprou por três dias.

“Qualquer paz que eu tivesse em meu coração e qualquer esperança que eu tivesse de que algo iria melhorar foi completamente retirada”, diz ela. “Fiquei tão apavorada que pedi a Deus: ‘Por favor, Deus, não me deixe morrer ‘’”.

Ela foi libertada do sequestro e começou a aumentar a automutilação.

“Eu cortei meu braço com uma faca”, diz Rachael. “Foi uma forma de aliviar a dor e as emoções reprimidas que sentia. Eu não sabia de outra forma tirá-lo, então eu me cortaria.”

Finalmente, ela chegou ao fundo do poço ao perceber que nenhum de seus mecanismos de enfrentamento estava funcionando.

“Deus, por favor, me ajude”, ela orou. “Eu preciso de um milagre. Eu preciso que você envie seus anjos para me ajudar. Não há maneira de sair desta situação, exceto se você me ajudar, Deus. E eu sinto muito por lutar contra você por toda a minha vida.’”

Em resposta à oração, Deus enviou alguém que a convidou para ir à igreja. Lá ela conheceu um casal que lhe falou sobre Jesus e que ela precisava confiar nele. “Eu confessei que era uma pecadora e que precisava de Jesus”, lembra a mulher.

“E que eu precisava que Ele viesse e assumisse o controle da minha vida. Eu entreguei tudo a Ele.”

Ela nasceu de novo

Ela ainda precisava de libertação, no entanto, de anos de abuso. Na igreja, ela conheceu Scott e Sandy Boyd, que passaram o mês seguinte ajudando Rachael a encontrar a liberdade em Cristo.

“Eles me conduziram em várias orações de renúncia para renunciar às drogas, ao álcool, ao paganismo, todas essas coisas, apenas para renunciar às coisas. Foi um processo”, lembra.

Como parte de seu processo de libertação, ela teve que perdoar os homens que abusaram dela. “Eu preciso do perdão de Deus e então vou perdoar”, ela decidiu.

A libertação veio.

“Era como se eu fosse uma pessoa totalmente diferente e pudesse respirar. Este foi o meu momento de como se eu fosse uma nova criatura. Como se eu fosse um novo ser. E eu tenho uma vida totalmente nova diante de mim. E as coisas começaram a mudar”, diz Rachael.

Hoje, Rachael está criando sua filha Ivy com Miika, que é pastor na Finlândia, com quem se casou.

“Nunca comecei a viver antes de conhecê-Lo (Deus)”, diz ela. “Seu amor realmente muda tudo. Ele pega a bagunça mais quebrada, impossível e sem esperança e pode transformá-la em algo lindo.”