Jovens estão voltando para Deus na pandemia, diz pesquisa

Pesquisa aponta que os jovens estão voltando para Deus, na pandemia
Pesquisa aponta que os jovens estão voltando para Deus, na pandemia. Foto – Divulgação

Um novo estudo do YouGov indica que aqueles no final da adolescência e início dos vinte anos (Geração Z) são mais propensos a acreditar em Deus do que a geração do milênio em seus vinte e trinta anos.

O estudo apontou para a facilidade com que os jovens podem acessar informações sobre a fé online como um dos principais motivos para mudar a tendência de os jovens serem vistos como menos religiosos.

Outros fatores incluem menos “estigma” sobre as crenças religiosas entre os grupos de pares da Geração Z, levando a discussões mais abertas sobre a fé. Os especialistas também acreditam que a pandemia pode ter levado muitos jovens a pensar mais seriamente sobre o que acreditam, levando a um aumento na afiliação religiosa.

O número de pessoas na faixa etária de 16 a 24 anos que se classificam como religiosas aumentou para 23% no último estudo. Quando a pergunta foi feita a jovens de 18 a 24 anos em janeiro, o número era de 21 por cento. Para 40 a 59 anos e 25 a 39 anos, caiu para 26 por cento e 19 por cento, respectivamente.

A Dra. Lois Lee, pesquisadora do departamento de estudos religiosos da Universidade de Kent, disse ao Times que é “altamente provável que a pandemia tenha impactado as crenças e práticas existenciais das pessoas”, mas que ela “ainda não está convencida de que isso fará qualquer grupo mais ou menos religiosos a longo prazo “.

Ela observou que os tempos de crise podem ser “um tempo de exploração” em termos de sistemas de crenças pessoais. “Possivelmente os dados deste ano indicam que os jovens estão passando por esse tipo de período exploratório mais do que outros”, disse ela.

Stephen Bullivant, professor de sociologia da religião na St Mary’s University, Twickenham, observou que os números do estudo YouGov “superam a expectativa de longo prazo” de que grupos de idade se tornem “progressivamente menos religiosos” à medida que ficam mais jovens.

A pesquisa, que foi realizada online no final de novembro, e alcançou mais de 2.169 pessoas e incluiu quatro perguntas: se eles acreditavam em Deus, se eles não acreditavam em Deus, mas acreditavam em algum tipo de poder espiritual superior, se eles não acreditavam em nenhum dos dois, ou se não sabiam.