Joe Biden deve continuar com luta pela liberdade religiosa internacional

O presidente eleito nos Estadados Uniddos, Joe Biden será tão forte quanto Trump na luta pela liberdade religiosa, diz predente da (USCIRF)

Presidente eleito nos Estados Unidos Joe Biden
Presidente eleito nos Estados Unidos Joe Biden. Foto – Divulgação

À medida que os (EUA) faz a transição de Trump para o governo de Joe Biden, já circulam especulações se Bidem, continuará com a luta pela “Liberdade Religiosa International”, como uma das prioridades para a nação.

Embora várias posições políticas domésticas e internacionais sofram mudanças dramáticas, vários especialistas em políticas acreditam que a equipe de Biden continuará a construir sobre o legado de liberdade religiosa internacional da administração Trump.

Gayle Machin, que atua como presidente da Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF), compartilhou em uma entrevista ao Christian Post que ela acredita que Joe Biden será “tão forte” quanto Trump, nas questões de liberdade religiosa daqui para frente.

Leia também:

A comissão atua como uma organização fiscalizadora das condições internacionais de liberdade religiosa em todo o mundo e assessora o poder executivo e o Congresso em questões relacionadas à perseguição e liberdade religiosa internacional.

A Presidente da (USCIRF), Manchin é a esposa do senador Joe Manchin, da Virgínia Ocidental e ex-primeira-dama do estado. A USCIRF é uma comissão bipartidária estabelecida pelo Congresso dos Estados Unidos, e freqüentemente modela o lado bipartidário da política americana.

Outros especularam que o governo Biden mudará a abordagem do governo Trump. Algumas vozes até pediram que o USCIRF e o Escritório de Liberdade Religiosa Internacional no Departamento de Estado fossem encerrados ou, pelo menos, reduzidos em suas funções.

Eles argumentaram que o movimento como um todo não realizou nada significativo desde a Lei de Liberdade Religiosa Internacional de 1998, que fundou os escritórios da USCIRF e do Departamento de Estado.

Na realidade, essas reivindicações são infundadas e ignoram países como o Sudão (e muitos outros), que fizeram grandes mudanças em seu espaço doméstico de liberdade religiosa para mover seus governos de políticas opressivas para maiores liberdades individuais na disposição religiosa.

A administração Trump foi pioneira na publicação anual Ministerial to Advance Religious Freedom e também na International Religious Freedom Alliance. A administração também trabalhou em estreita colaboração com a sociedade civil semanalmente por meio da Mesa Redonda Internacional de Liberdade Religiosa.

Embora a administração Biden faça algumas mudanças, é provável que o trabalho da administração Trump sirva como base para novos avanços na liberdade religiosa em todo o mundo.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: