Deputada é presa por ir à igreja infectada com coronavírus, na Escócia

Além de ir à igreja, a deputada Margaret Ferrier viajou em setembro de Londres e Glasgow sabendo que estava com Covid-19. Ela foi suspensa pelo partido, mas se recusou a deixar o cargo.

Deputada britânica Margaret Ferrier
A parlamentar britânica Margaret Ferrier, foi presa após admitir ter ido à igreja estando infectada com o novo coronavírus. Foto – Divulgação

A deputada britânica Margaret Ferrier, foi presa na Escócia acusada de violar as restrições na prevenção contra o Covid-19, após ir à igreja infectada pelo coronavírus. A parlamentar foi detida nessa segunda-feira (04).

No ano passado, após a deputada fazer o teste da doença, ela fez uma viagem de Glasgow para a Câmara dos Comuns enquanto esperava os resultados de um teste Covid-19 – e uma viagem de volta após ser informada de que ela tinha o vírus.

A polícia da Escócia confirmou na segunda-feira que uma mulher de 60 anos, supostamente Ferrier, foi presa e acusada por suposta conduta culpada e imprudente. Ferrier confessou que viajou infectada dias depois da viagem, o que causou um escândalo político no Reino Unido e, especialmente, na Escócia.

Leia também:

+ Igrejas na Escócia devem fechar as portas em novo bloqueio nacional

“Isso segue uma investigação completa da Police Scotland Yard, sobre uma alegada violação dos regulamentos do coronavírus entre 26 e 29 de setembro de 2020.

“Um relatório será enviado ao procurador fiscal e não podemos comentar mais”. Em outubro, a Polícia Metropolitana disse que “não faria mais nenhuma ação” contra à deputada após uma investigação.

O jornal Daily Record informa que a Sra. Ferrier assistiu a uma missa na Igreja de St Mungo em Townhead, Glasgow, no domingo, 27 de setembro. Na ocasião, ela disse ter feito uma leitura do evangelho do altar.

Naquela época, a Arquidiocese de Glasgow dizia: “Para o bem de toda a comunidade, é importante que quem é obrigado a se isolar o faça de acordo com a orientação do Governo, para que quem esteja nessa situação não vá à missa.

“É decepcionante se isso não aconteceu, mas gostaríamos de tranquilizar as pessoas de que cumprimos todas as diretrizes do governo e da igreja.”

O site da igreja afirma que a missa pública é limitada a 50 pessoas e aqueles que estão se protegendo, se isolando ou se sentindo mal não devem comparecer.

A Sra. Margaret Ferrier, também fez um discurso de quatro minutos na Câmara dos Comuns em Londres, durante um debate sobre o coronavírus na segunda-feira, 28 de setembro.

O Scottish Labour lançou uma petição online pedindo que ela renunciasse ao cargo político, enquanto o líder Trabalhista Sir Keir Starmer organizava uma reunião virtual com residentes no distrito eleitoral de Ferrier no início de outubro.