Cristãos voltam ser acusados de espalhar Covid-19 em cidade na China

Novamente, os cristãos foram acusados nas redes sociais por serem a fonte da mais recente disseminação do Covid-19 na província de Hebe, na China

Cristãos são acusados de disseminar coronavírus em cidade na China
Cristãos são acusados de disseminar coronavírus em cidade, na China. Foto – Divulgação

Uma cidade do norte da China com 11 milhões de pessoas viu um aumento nos casos de Covid-19 e foi bloqueada em 6 de janeiro. E novamente, os cristãos foram acusados nas redes sociais por serem a fonte da mais recente disseminação na província de Hebei, que logo foram denunciadas pelos padres locais.

Asia News compartilha uma conversa entre um padre local e um membro de sua paróquia, mostrando que circula um post que diz: “a aldeia de Xiao Guozhuang, perto de Gaocheng, é uma aldeia católica; 20 dias atrás, havia atividade religiosa aqui, havia vários padres da Europa e dos Estados Unidos […] ”, dando a entender que os cristãos causaram a mais nova epidemia em Hebei.

Na realidade, o padre local que atende pelo pseudônimo de Shanren Shenfu, afirmou que as aldeias acusadas não têm cristãos e as atividades religiosas da Igreja foram proibidas desde a véspera de Natal.

Leia também:

Além disso, a declaração publicada pelo padre local de Shijiazhuang para repreender o boato diz: “A aldeia de Xiao Guozhuang, Liu Jiazuo, Nan Qiaozhai não são aldeias católicas, existem apenas alguns residentes católicos. Essas aldeias não têm um lugar católico de oração; eles não organizam reuniões religiosas católicas. Para participar das atividades religiosas habituais, todos os fiéis vão para a aldeia vizinha de Bei Qiaozhai, etc …”

As autoridades locais já suspenderam as atividades religiosas já na véspera de Natal, porque a Associação Patriótica e a Comissão Administrativa [da Igreja Católica Nacional na China] da diocese. No entanto, a pedido de seus líderes todas as paróquias da diocese suspendessem suas atividades.

O padre Shanren Shenfu disse que esse episódio o lembrava do imperador Nero, que estava procurando um bode expiatório e perseguiu os cristãos. Ele disse que felizmente “a Igreja de Shijiazhuang desta vez reagiu a tempo, emitindo uma declaração para romper as mentiras e bloquear as consequências negativas. Mas ainda quero fazer a pergunta novamente: de onde sopra esse vento maligno? ”

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: