Menina cristã forçada se casar com muçulmano, volta para sua família no Paquistão

A menina de 12 anos, foi forçada a se converter ao islamismo e se casar com seu sequestrador muçulmano.

Menina cristã Farah Shaheen volta para sua família no Paquistão
Menina cristã Farah Shaheen, que foi sequestrada e forçada se casar volta para sua família no Paquistão. Foto – Divulgação

Uma menina cristã paquistanesa que foi sequestrada e forçada a se casar com seu raptor muçulmano, em um movimento bem-vindo pelas autoridades, se reencontrou com sua família depois de quase seis meses.

A menina cristã Farah Shaheen, de 12 anos, foi resgatada pela polícia do Paquistão em 5 de dezembro, após ser encontrada em uma sala trancada com ferimentos nas mãos e nos pés. Segundo o Barnabas Fund, Farah foi torturada por seu sequestrador e frequentemente era mantida trancada em um quarto.

Ela está muito feliz por estar de volta com sua família, acrescentou o Barnabas Fund.

Farah foi forçada a se converter ao islamismo e se casar com seu sequestrador muçulmano de 45 anos, Khizar Hayat, três dias depois que ela foi sequestrada em Faisalabad, em 25 de junho de 2020 .

Ela foi recuperada depois que ordens foram emitidas pelo tribunal de Punjab colocando Farah em uma casa segura por um breve período antes de devolvê-la para sua família. Não está claro o que levou à decisão do tribunal após meses de atraso e inação por parte das autoridades e da polícia.

Asif Masih, o pai da menina, implorou repetidamente à polícia para que tomasse medidas para libertar sua filha, mas foi negada a permissão para registrar uma queixa oficial até setembro. Ele escreveu ao Oficial Central da Polícia (CPO) de Faisalabad pedindo a intervenção das autoridades.

“Eu fui à delegacia local várias vezes, mas não adiantou eles se recusaram a tomar qualquer medida”, disse ele. Em vez de registrar um caso contra o sequestrador, um policial disse a Masih para esquecer sua filha e ficar feliz por ela ter se convertido ao Islã.

Em uma visita subsequente à delegacia de polícia, um oficial chamado Masih a chuhra, um termo de escárnio usado para significar limpador de latrinas que é frequentemente usado para insultar os cristãos.

“Os cristãos devem limpar calhas para não se sentar em escritórios.” Em outra ocasião, um policial ameaçou registrar um caso de “blasfêmia” contra ele.

A cada ano no Paquistão, estima-se que 700 mulheres e meninas cristãs são sequestradas, estupradas, convertidas à força e casadas com muçulmanos, mas as autoridades raramente intervêm.

Em agosto de 2020, a Suprema Corte de Lahore devolveu a menina cristã Maria Shabaz ao homem muçulmano que a sequestrou sob a mira de uma arma, quando ela tinha 13 anos, e a forçou ao casamento. Maria fugiu e deu início a um processo legal.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: