Cristãos norte-coreanos fazem relatos horríveis de tortura em prisões

Sobreviventes revelam como os cristãos são torturados e fuzilados por sua fé, na Coreia do Norte

Sobreviventes revelam como os cristãos são torturados em prisões na Coreia do Norte
Sobreviventes revelam como os cristãos são torturados em prisões na Coreia do Norte. Foto – Divulgação

Sobreviventes de campos de detenção fazem relatos horríveis de tortura de cristãos norte-coreanos presos pelo “crime” de sua fé. Abuso horrível de prisioneiros religiosos na Coreia do Norte é revelado por cristãos que sobreviveram dentro de prisões.

Detalhes da crueldade infligida aos cristãos estão contidos em um relatório de um grupo de campanha com sede em Londres, Korea Future Initiative. Após entrevistas com 117 norte-coreanos exilados, o grupo identificou 215 cristãos vítimas de perseguição, com idades entre três e 80 anos.

Seus testemunhos angustiantes de prisão arbitrária, interrogatório e tortura contínua nas prisões e campos de “reeducação” do país entre 1990 e 2019 mostram que, enquanto o regime de Kim Jong-Un pune todos os crentes religiosos, as punições mais severas costumam ser reservadas aos cristãos .

Publicidade

Famílias inteiras de cristãos são enviadas para campos de prisioneiros. “Eles nos acorrentaram com algemas”, disse um sobrevivente. “Foi de partir o coração ver crianças sendo algemadas. Nosso filho tinha apenas 13 anos. ”

Outra testemunha descreveu a coragem de duas famílias, cujos membros tinham entre dez e 80 anos, presos e detidos por praticarem cultos em uma igreja clandestina. Depois que as crianças menores foram colocadas sob cuidados à força, o grupo continuou a orar em silêncio em suas celas.

“Eu perguntei se eles estavam com medo”, disse a testemunha. “Eles apenas sorriram. [Uma vítima] disse que não estava com medo e me disse: ‘Jesus olha para nós’. Comecei a chorar porque sabia o que aconteceria com pessoas como ela, mas ela me disse para não me preocupar. As crianças também não choraram. Eles estavam sorrindo. No dia seguinte, todos foram enviados para o campo de prisioneiros políticos de Chongjin Susong.”

Formas particularmente desumanas de tortura foram infligidas por guardas prisionais. Em um caso, um cristão convertido foi forçado a entrar em uma minúscula gaiola de aço, com cerca de 100 cm (3 pés) de altura e 100 cm (4 pés) de largura, com barras de metal aquecidas por corrente elétrica.

“Normalmente, os presos ficavam apenas três a quatro horas na jaula, mas eu ficava sentado lá por 12 horas e orava”, disse o sobrevivente. “Continuei orando para que Deus me salvasse.”

Por fim, ele desmaiou, mas quando voltou a si percebeu que havia sido espancado enquanto estava inconsciente e sofrera graves ferimentos no rosto e na perna.

Outros métodos de tortura incluíam prisioneiros sendo forçados a se pendurar em barras de aço enquanto eram espancados, tendo seu corpo fortemente amarrado com varas, tendo um líquido feito com pimenta vermelha derramado à força em suas narinas, sendo forçados a se ajoelhar com uma barra de madeira inserida entre os joelhos , estrangulamento ou privação de sono.

Mulheres forçadas a abortar, bebês sufocados ao nascer

“Homens eram espancados como cachorros”, disse uma cristã. “Eles gritaram loucamente porque doíam muito. Mesmo que as mulheres levassem menos espancadas, fui atingido no rosto e minha pele se rompia e sangrava muito … Chorei muito quando eles me bateram de novo. ”

Relatos terríveis são feitos de mulheres grávidas forçadas a abortar. Uma testemunha descreveu como bebês que sobreviveram ao nascimento foram sufocados por guardas e seus minúsculos corpos jogados em armários de limpeza até o enterro. Suas mães foram obrigadas a retomar o trabalho manual no dia seguinte, sem remédios e sem descanso.

Os testemunhos no relatório ecoam o testemunho do norte-coreano Christian Sookyung Kang , que fugiu de sua terra natal para poder adorar livremente sem arriscar sua vida. Em novembro, ela deu uma rara visão sobre a perseguição sofrida pelos cristãos sob um regime que exerce o controle negando aos cidadãos as necessidades básicas de alimentação, sono e segurança.

A Coreia do Norte é rotineiramente classificada como um dos lugares mais perigosos do mundo para ser cristão. Os crentes foram executados simplesmente por possuir uma Bíblia. Dezenas de milhares de cristãos foram encarcerados em campos de trabalhos forçados onde são abusados, torturados e trabalharam até a morte.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: