Cristãos chineses celebram o Natal em meio à perseguição

Cristãos chineses celebram o Natal em meio à perseguição
Outro Natal difícil para os cristãos chineses, restrições e perseguição. Foto – Divulgação

Enquanto o resto do mundo celebra o Natal com alegria, os cristãos chineses mais uma vez celebram o Natal em meio à perseguição, desafios e restrições à medida que China continua a reprimir o cristianismo.

De acordo com o pastor Yang Xibo da Igreja de Xunsiding na cidade de Xiamen, alguns cristãos locais foram convidados a apresentar canções de Natal em Wanda Plaza (um shopping center) na véspera de Natal.

Mas sua apresentação foi interrompida pela polícia local. O Bureau Local de Assuntos Étnicos e Religiosos e a Segurança do Estado também enviaram funcionários para garantir que a apresentação dos cristãos fosse cancelada.

+ Os esforços da China para eliminar o Cristianismo no país

Perseguição

Uma igreja católica sancionada pelo estado na cidade de Wuxi, província de Jiangsu, teve que obter a aprovação de pelo menos oito escritórios antes de poder celebrar qualquer missa de Natal. O formulário da Igreja Católica Taihu com muitos selos oficiais, relatou como é difícil até mesmo para uma igreja aprovada pelo governo celebrar o Natal.

O padre Francis Liu, da Chinese Christian Fellowship of Righteousness, também compartilhou uma foto da tropa de choque em frente à Catedral de Xishiku, no distrito de Xicheng, em Pequim.

Ironicamente, uma placa do lado de fora do portão da igreja diz “Devido à pandemia, todas as atividades da igreja foram interrompidas”. A medida excessiva prova ainda mais o medo do governo à religião.

Além disso, a Universidade de Shenzhen também enviou um aviso aos funcionários pedindo-lhes que proibissem os alunos de realizar atividades de Natal, postar folhetos de Natal ou exibir exibições de Natal no campus.