Cerca de 21 cristãos são hospitalizados após serem atacados na Índia

Muitos cristãos fugiram para a floresta próxima para escapar do ataque.

Cerca de 21 cristãos são hospitalizados após serem atacados na Índia
Cristãos são socorridos após serem atacados na Índia. Foto – Divulgação

De acordo com o Morning Star News, 21 cristãos foram hospitalizados na Índia depois de serem atacados e brutalmente espancados por uma multidão em Chhattisgarh. O incidente ocorreu no final de novembro e as autoridades locais tomaram medidas mínimas em resposta.

Em 25 de novembro, uma multidão armados com varas de bambu, barras de ferro, arcos e flechas e foices de ferro, atacou um grupo de cristãos que celebrava a dedicação de uma criança em um lar cristão na aldeia de Chingrwaram. Mais de 50 cristãos estavam reunidos na casa cristã para participar da celebração quando o ataque ocorreu.

A turba acusou os cristãos de converter pessoas ao cristianismo e celebrar com música alta. Eles então desencadearam um ataque brutal que durou horas.

“Foi um caos total e as pessoas correram para salvar suas vidas ” , disse Laxshu Madkam ao Morning Star News. “ Recebi dois cortes nas costas. Minha moto estava quebrada. Os agressores também quebraram mais 10 motos. Eles puxaram os canos de gasolina de mais 20 bicicletas e deixaram o combustível fluir.”

Um cristão seriamente ferido após ser atacado em Chhattisgarh na Índia
Um cristão seriamente ferido após ser atacado em Chhattisgarh na Índia. Foto – Divulgação

“Eles espancaram as crianças e também as mulheres que cozinhavam do lado de fora” , relatou Laxman Mandavi ao Morning Star News. “ Enquanto as crianças eram espancadas com as mãos e os pés, as outras foram alvejadas com flechas e espancadas com barras de ferro.”

Muitos cristãos fugiram para a floresta próxima para escapar do ataque. No entanto, 21 cristãos ficaram gravemente feridos, quatro dos quais foram levados para vários hospitais em estado crítico.

As autoridades locais pouco fizeram em resposta ao ataque na aldeia de Chingrwaram, embora muitos dos agressores tenham sido identificados pelos sobreviventes.

“Conhecemos todos os que nos atacaram”, explicou Mandavi ao Morning Star News.“ Nosso relacionamento com eles tem sido historicamente cordial, mas suspeitamos que forasteiros os provocaram contra nós.”

Nos dias que se seguiram ao ataque, a polícia prendeu 16 pessoas identificadas no First Information Report (FIR) arquivado pelas vítimas cristãs. No entanto, esses suspeitos foram rapidamente libertados sob fiança.

A polícia também apresentou acusações de acordo com seções do código penal que retratam o incidente como uma briga e não como um ataque de motivação religiosa.

Os cristãos locais temem que a polícia faça pouco para levar os perpetradores à justiça e fornecer proteção futura à comunidade ferida.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: