Quatro cristãos são mortos em ataque terrorista na Indonésia

Terrorista na Indonésia incendeia igreja e lares cristãos, matando quatro pessoas. Os quatro cristãos foram mortos na aldeia de Lemban Tongoa, no distrito de Sigi

Quatro cristãos são mortos em ataque terrorista na Indonésia
Os assassinos de quatro cristãos são terroristas Mujahidin da Indonésia Oriental. Foto – Divulgação.

Pelo menos quatro cristãos foram mortos em ataque terrorista contra um posto de serviço do Exército de Salvação na Indonésia ao leste de Bornéu, com três sendo decapitados antes de seis casas de membros da igreja serem queimadas.

Os quatro cristãos foram mortos e decapitados na aldeia de Lemban Tongoa, no distrito de Sigi (Sulawesi Central), confirmou o Prof. Mahfud, Ministro dos Assuntos de Segurança. O ataque aconteceu no último dia 27 de novembro, segundo informa o International Christian Concern (ICC).

Por volta das 8h, o Posto de Serviço Lewonu Lembantongoa, localizado em Sigi Regency, Sulawesi Central, criado como um esforço de divulgação pelo Exército de Salvação na Indonésia (Bala Keselamatan), foi atacado pelo suposto terrorista.

Ele ateou fogo à igreja, antes de atacar o capitão Arnianto, a Sra. Mpapa, o tenente Abram Kako e sua esposa e incendiar seis casas de membros da igreja. Das quatro vítimas, três morreram golpeadas, enquanto a outra foi queimada.

No vídeo visto pelo ICC, a vítima carbonizada foi retirada de uma pilha de ruínas, com fumaça ainda subindo ao fundo. A posição fowler do corpo sugere a agonia e a dor sofridas pela vítima antes da morte.

Lemban Tongoa está localizada na floresta, onde o acesso a informações e transporte é limitado. A ICC continuará fazendo o acompanhamento para saber mais sobre os detalhes do ataque. O Exército de Salvação está pedindo orações “pela família das vítimas, pela igreja e pela paz da região”.

Gina Goh, Gerente Regional do ICC para o Sudeste Asiático, disse: “O ICC lamenta a morte dos irmãos e irmãs indonésios que foram brutalmente assassinados pelo suposto terrorista. Instamos o governo indonésio a tomar as medidas necessárias para responsabilizá-lo e levá-lo à justiça”.

Tal ato sem sentido não pode ser tolerado no país que se orgulha de ‘Pancasila’, a ideologia do estado que promove a harmonia religiosa e a tolerância. Concluiu, Gina Goh.