Cristãos oram pela volta das aulas em escolas, nos Estados Unidos

Cristãos oram em escolas de San Diego
Cristãos oram em escolas de San Diego, nos Estados Unidos. Foto – Divulgação

No final do mês de setembro, cristãos de cerca de 80 igrejas oraram em 50 locais em todo o condado de San Diego pela volta das aulas nas escolas, nos Estados Unidos. Mais de 3.200 pessoas, participaram do movimento.

Andrea Raibert, mãe de uma aluna da sétima e outra da décima série, sentou-se na calçada em frente ao escritório do Poway Unified School District com sua Bíblia aberta e pensou em seus filhos e amigos lidando com um mundo que mudou tanto em pouco mais mais de seis meses.

“Eles adorariam voltar para a escola, sem dúvida”, disse ela. “Eles sentem falta dos amigos, sentem falta das atividades, só sentem falta da interação social. Crianças são solitárias. Eles precisam de mais. Então, estamos aqui para orar. ”

Congregantes de mais de 80 igrejas participaram do “ We Pray San Diego ”, reunindo-se em cerca de 50 escolas, instalações educacionais e escritórios em todo o condado na manhã de sábado.

“Acreditamos que a oração move montanhas”, disse Miles McPherson, pastor da Igreja Rock, que organizou o evento. “Se pudermos nos reunir e orar juntos, é provavelmente uma das coisas mais unificadoras que podemos fazer.”

Os organizadores disseram que o objetivo do evento é oferecer apoio a alunos, professores e administradores que sentem ansiedade e estresse em meio a um turbilhão de eventos recentes a pandemia do COVID-19, divisões raciais e políticas, e por tempos financeiros instáveis.

“Na verdade, não oramos apenas por orar”, disse Ken Hudson, pastor principal da Igreja Cristã Carmel Mountain . “Temos uma verdadeira crença de que Deus se move, Deus age e ouve nossas orações.”

O evento não foi confessional e durou uma hora, com muitos seguindo um guia de oração online que citava passagens bíblicas. Os participantes meditaram e oraram em silêncio, sentados, em pé ou ajoelhados. Diretrizes de distanciamento social foram aplicadas.

“As pessoas respeitaram muito isso”, disse Abel Isaac Ledezma, pastor assistente da Igreja Centro Familiar Cristiano , que ajudou a liderar uma vigília com a presença de cerca de 110 pessoas fora da Escola de Segundo Grau Bonita Vista, em Chula Vista.

“Todo mundo estava usando uma máscara. Nós realmente não precisávamos policiar ninguém nesse sentido.” Disse, Abel.