Padre é sequestrado e torturado para aderir à igreja controlada pelo governo chinês

O sacerdote Católico foi sequestrado e torturado pelo governo comunista chinês

Sacerdote Católico foi sequestrado e torturado pelo governo comunista chinês
O sacerdote Católico foi sequestrado e torturado pelo governo comunista chinês. Foto – Divulgação

Um padre da Diocese de Mindong que foi sequestrado pelo governo chinês foi torturado durante sua detenção em um esforço para solicitar sua adesão à Associação Católica Patriótica Chinesa (CPCA).

O padre Liu Maochun estava visitando seus pais em um hospital na província de Guangdong em 1º de setembro, quando foi recebido pela polícia e levado para um local não revelado na cidade de Fu’an para interrogatório. Ele só foi libertado 17 dias depois.

De acordo com Bitter Winter, o padre Liu foi torturado cruelmente. Os policiais batiam um gongo ao lado de sua orelha e iluminavam seus olhos com uma luz forte por vários dias consecutivos – um método de tortura conhecido como “exaurir uma águia”, quando as pessoas ficam sem dormir por muito tempo.

Uma fonte da diocese disse a Bitter Winter que sua detenção foi devido à sua desobediência ao governo e que ele era “ideologicamente radical”.

Desde que o Vaticano assinou o acordo provisório com Pequim sobre a nomeação de bispos, o governo chinês tem como alvo aqueles que são leais à Santa Sé e os pressiona a aderir ao PCCA. Aqueles que se recusam a obedecer são ameaçados ou desaparecidos à força.

A fonte acrescenta que pe. Liu Maochun é assistente do bispo auxiliar da diocese, Guo Xijin. O Partido Comunista Chinês (PCC) prende e quer controlar os padres próximos a ele que também se recusam a ingressar no PCCA.

Outro líder da diocese também foi ameaçado pelo governo de que sua casa poderia ser demolida e seus filhos demitidos se ele apoiasse a recusa do bispo Guo em se filiar à Igreja Patriótica.

Alguém da prefeitura de Fu’an revelou ao Bitter Winter que o pe. A prisão de Liu Maochun foi devido à sua conexão com vazamentos sobre a tortura do padre Huang, outro sacerdote de Mindong que se recusa a ingressar no PCCA.

O regime suspeita que pe. Liu pode ser uma das pessoas que compartilhou a informação sobre o padre. Huang com a mídia estrangeira.

O governo chinês está intensificando sua repressão contra os padres leais ao Vaticano, um dia depois do desaparecimento de Liu, o Departamento de Segurança Pública da cidade de Ningde também ordenou a prisão do padre Zhu Rutuan, outro sacerdote da diocese, para forçá-lo a ingressar no CPCA.

Tendo sido avisado, o padre escondeu-se e os funcionários do Bureau estão agora usando tecnologia de vigilância de alta tecnologia para localizá-lo.