Militantes Fulani matam cinco cristãos no estado de Benue, na Nigéria

Ataque de pastores de gado Fulani deixa cinco cristãos mortos na Nigéria.

Ataque de pastores de gado Fulani deixa cinco cristãos mortos na Nigéria
Ataque de pastores de gado Fulani deixa cinco cristãos mortos na Nigéria. Foto – Divulgação

Nigéria – Tropas da operação militar conjunta, Operação Whirl Stroke (OPWS), repeliram um ataque de militantes Fulani que mataram cinco cristãos e mais oito feridos, em três aldeias no Conselho Guma, no estado de Benue.

Apesar de uma lei estrita que proíbe o movimento de gado através das terras no estado de Benue, ainda há ataques contínuos de militantes Fulani. Em novembro de 2017, o projeto de lei Anti-Pastoreio Aberto entrou em vigor, tornando ilegal o transporte de gado por pastores por terras sem dono.

Eles eram obrigados a comprar ou alugar pastagens e fazendas para pastar seu gado. Isso era na esperança de acabar com os muitos ataques violentos que ocorrem contra os agricultores, principalmente cristãos do estado.

Ainda assim, no domingo, 20 de setembro, militantes Fulani atacaram a vila de Tse-Apera, distrito de Nzorov, Guma LGA. Esta aldeia é a casa do governador do Estado de Benue, Samuel Ortom, que ajudou a aprovar o projeto de lei.

Ele também é um dos críticos mais veementes dos ataques cometidos por militantes Fulani em toda a Nigéria. Durante este ataque, além dos cinco cristãos testemunhas relataram uma decapitação.

Ainda durante o ataque, outras oito pessoas ficaram feridas e enviadas para o hospital para recuperação. Segundo o chefe da aldeia, os agressores foram ouvidos falando a língua fula, razão pela qual foram identificados como Fulani.

Este ataque é apenas um dos muitos que ceifaram a vida de milhares de cristãos na última década. Os ataques generalizados foram classificados por alguns como conflitos históricos normais sobre direitos à terra, enquanto outros afirmam que esses ataques constituem pura jihad que chega ao genocídio.

Não importa onde os ataques caiam nessa escala, eles são atrozes e cruel. No entanto, o governo da Nigéria deve fazer mais para acabar com essa matança. Por favor, continuem orando por nossos irmãos e irmãs na Nigéria que sofrem diariamente por sua fé.