Jovem recusa a negar a Jesus, mesmo espancada pelo pai muçulmano

“Eu não podia deixar Jesus. Decidi não deixá-lo porque Ele me deu a vida eterna e, mesmo que morresse ali, sabia que iria até Ele ”

A jovem Susan recusou a negar Jesus, quando ela tinha 13 anos, e foi severamente castigada pelo pai muçulmano
A jovem Susan à esquerda na foto, recusou a negar Jesus quando ela tinha 13 anos, e foi severamente castigada pelo pai muçulmano. Foto – Divulgação

Quando Susan Ithungu renunciou ao Islã e aceitou a Jesus Cristo a jovem tinha apenas 13 anos, seu pai muçulmano a sujeitou a condições adversas na esperança de que ela mudasse de ideia. A jovem foi espancada pelo pai e trancada em um espaço apertado, curvada e com dor.

Vários meses se passaram antes que os vizinhos percebessem o que estava acontecendo com Susan e notificassem a polícia, que a resgatou. A jovem conseguiu sobreviver apenas com pequenas quantidades de comida e água que seu irmão conseguiu dar secretamente a ela.

Susan sofria de malária não tratada enquanto estava trancada e os meses de deficiência de cálcio afetaram seus ossos em crescimento, resultando em danos permanentes nas pernas.

“Eu não podia deixar Jesus. Decidi não deixá-lo porque Ele me deu a vida eterna e, mesmo que morresse ali, sabia que iria até Ele ”, lembra ela.

Open Doors International, uma organização sediada nos Estados Unidos que atende cristãos perseguidos em todo o mundo, diz que um pastor em Uganda que a visitou imediatamente após o resgate revelou que ela era extremamente magra e incapaz de andar ou falar.

“Seu cabelo ficou amarelo, ela tinha unhas compridas e olhos fundos e parecia muito magra, menos de 21 quilos”, disse ele.

Felizmente, com o apoio de duas organizações Portas Abertas e Voz dos Mártires (VOM), uma organização internacional sem fins lucrativos, que cuja missão é defender os direitos humanos dos cristãos perseguidos, as contas médicas de Susan foram totalmente pagas.

As organizações forneceram fundos que permitiram que ela viajasse para um hospital no Quênia. A VOM também forneceu despesas de subsistência para ela e sua cuidadora cristã, Dreda.

Após o incidente sem coração, Suzan e seu cuidador Dreda foram transferidos para outra vila, onde ela (Suzan) está protegida de seu pai.

 A imagem à esquerda é de Susan em 2011, a da direita é dela se recuperando de sua operação recente.
A imagem à esquerda é de Susan em 2011, a da direita é dela se recuperando de sua operação recente. (Foto | Portas abertas.)

No ano passado, Suzan desenvolveu uma infecção na coxa que exigiu outra cirurgia imediata. Apesar de todas as suas dificuldades, Susan manteve sua fé. “Sinto-me muito bem”, disse ela à VOM, “porque agora estou com Cristo”.

“Essa garota passou por um momento difícil”, disse o funcionário da VOM. “Ela tem, no entanto, permanecido firme, não importa o que tenha que passar, incluindo a rejeição de seu pai e a sujeição a andar com muletas. Ela superou e está ficando mais forte no Senhor a cada momento. ”

De acordo com a VOM, aqueles que cuidaram de Susan a ajudaram a perceber que Deus nunca a deixará em seus momentos de necessidade.

Susan compartilha sua história em igrejas por todo o país e incentiva outros crentes a continuarem ajudando e orando pelos cristãos perseguidos. Ela espera um dia ser capaz de compartilhar o Evangelho com seu pai e outras pessoas que a machucaram.