Evangélica usa auxílio emergencial para fazer máscaras para doar

Evangélica usa auxílio emergencial para fazer máscaras para doar
Alaide doa máscaras para quem não tem ou precisa trocar. (Foto: Arquivo pessoal)

As primeiras máscaras de proteção contra o novo coronavírus confeccionadas por Alaide Helena Lacerda de Souza Silva, de 55 anos, foram à mão. Ela usava apenas pano, agulha, linha e os conhecimentos adquiridos na internet, potencializados pela força de vontade em ajudar o próximo.

Ela percebeu que uma máquina de costura agilizaria o processo de confecção, mas não havia condições financeiras de comprá-la. A dona Alaide, evangélica da Igreja Adventista, conta que precisou uma doença de pele, precisou ser afastada do emprego e o benefício que recebia foi cortado.

Mesmo com os desafios, continuou a fazer o que podia para ajudar o próximo. Ela dava às costureiras os materiais necessários para a confecção do produto e pagava pelo serviço das profissionais. Quando alguém batia na porta da casa dela, sem máscaras ou com a máscara suja, prontamente doava uma nova.

Quando o auxílio emergencial do governo federal caiu na conta, sem pensar duas vezes, Alaide usou-o para comprar a própria máquina de costura. Hoje, confecciona os itens e não cobra nada por elas. Ela também produz panos de prato e outros materiais com a máquina e busca presentear quem tem se sentido sozinho nessa quarentena.

“Eu faço por amor. Meu pai sempre me ensinou sobre o princípio da doação. Eu amo fazer isso para os idosos. No início da pandemia, estavam todos com muito medo. Muitos não podiam sair de casa e passei a fazer pão integral e doar. Tudo isso para evitar que os idosos saíssem de casa”, disse ela, ao Portal Adventista Notícias.

Nesse projeto de ajuda ao próximo de forma voluntária, Alaide não está sozinha. Ela conta com todo o apoio do marido, Robson Silva, de 72 anos. O técnico em química aposentado também faz do voluntariado um estilo de vida. Ele mesmo prepara um tipo de sabão artesanal.

A partir dos recursos arrecadados com a venda do produto, ele compra alimentos, que são entregues à Ação Solidária Adventista (ASA), ministério responsável por ajudar famílias carentes. A ASA distribui as cestas básicas nos bairros em que os templos adventistas estão localizados.

“Não existe rico que de nada necessite e nem tão pobre que nada tenha para dar”, enfatiza Silva. No vídeo abaixo, o casal mostra o que preparou para doar.