Igreja faz vigília de oração por pastor com Covid-19, no MS

Igreja faz vigília de oração por pastor internado por Covid-19, no MS
Membros da igreja reunido para orar em frente ao Hospital Regional de Campo Grande (Foto: Divulgação)

Um grupo de membros da igreja El Shadday, se uniram numa “vigília de oração” no Hospital Regional em Campo Grande (MS), pelo pastor internado por Covid-19, e outros pacientes com a doença.

O grupo está em uma “vigília de oração” pela vida do pastor Edilson Vicente da Silva, de 61 anos, líder da igreja El Shaddai, que testou positivo para o coronavírus e está internado no hospital. Médicos e enfermeiros do Hospital foram surpreendidos pela iniciativa positiva.

Dezenas de pessoas caminharam em torno do hospital, com as mãos levantadas em um ato de intercessão. A oração foi pelo pastor, outros pacientes e profissionais da saúde que estão na linha de frente contra a doença.

“Foi muito bonito e comovente”, disse Epaminondas Vicente Silva Neto, mais conhecido como Papy, vereador de Campo Grande e filho do pastor Edilson.

De acordo com Papy, os momentos de oração contavam inicialmente apenas com familiares e dois pastores da igreja. Mas após complicações no quadro de saúde do pastor, membros da igreja também se uniram em intercessão.

“Há anos a primeira semana de cada mês é de oração, sempre no fim do dia, às 18h. Desta vez, com meu pai internado, adicionamos outros dois horários, um deles a meia-noite. Depois disso, passamos a ir ao hospital e o pessoal começou também”, disse ao site Campo Grande News.

O pastor Edilson, estava com sintomas leves, mas com o passar dos dias sentiu uma piora. “Ele tinha ficado sem paladar e, por isso, estava em isolamento. No 15º dia ficou muito ruim, achou até que já tinha se curado, mas começou a ter tosse e cansaço”, explica.

Edilson foi internado no Hospital Regional e, uma semana depois, precisou ser entubado. “Hoje completa 13 dias e na sexta-feira passada ele entubou. Quadro está estabilizado, ele teve significativas melhoras, e a cada dia as pessoas se animam mais em orar”, disse o filho.

Conforme Papy, os primeiros sintomas de Edilson, de 61 anos, foram leves, mas com o tempo evoluíram. “Ele tinha ficado sem paladar e, por isso, estava em isolamento. No 15º dia ficou muito ruim, achou até que já tinha se curado, mas começou a ter tosse e cansaço”, explica.

Confira o vídeo: