Filha de Flordelis pesquisou por matador na internet, diz investigação

Filha de Flordelis pesquisou por matador na web, aponta investigação
Marzy Teixeira da Silva, filha da deputada federal Flordelis

A filha da deputada federal Flordelis, Marzy Teixeira da Silva, pesquisou na internet sobre como encontrar um “matador” para executar o pastor Anderson do Carmo. Segundo as investigações, além de matador, ela pesquisou também por veneno.

Policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, que pertence à Polícia Civil do Rio de Janeiro, descobriram que Marzy pesquisou no Google por vários termos que a levassem a alguém para executar o serviço.

Ao fazer a perícia nos dispositivos eletrônicos apreendidos, eles descobriram que Marzy usou a internet para pesquisar os termos: “Assassino onde achar”, “Alguém da barra pesada” e “Barra pesada online”.

De acordo com informações do portal G1, a própria Marzy confessou que procurou Lucas César dos Santos para contratá-lo para o assassinato do pastor Anderson. Lucas é um dos filhos adotivos do casal e, assim como Marzy, está preso pelo crime.

O depoimento de uma testemunha nas investigações relata que Lucas deixou a casa por não ser bem tratado, indo morar sozinho e passando a integrar uma facção criminosa.

De acordo com os relatos, esse novo perfil do rapaz teria agradado a Flordelis para a execução do plano. Para matar o pastor foi oferecido a Lucas a quantia de R$ 10 mil.

O pagamento estaria na mochila do pastor Anderson, que, segundo depoimentos, sempre carregava ao menos R$ 5 mil em dinheiro. Relógios também foram prometidos ao rapaz para a execução do crime. Entretanto, Lucas divulgou o plano a outras pessoas.

Os relatos, em mensagens de texto, chegaram ao iPad do pastor Anderson, que foi perguntar a outros filhos do casal o que estava acontecendo.

A investigação aponta que, na madrugada de 16 de junho de 2019, horas antes do crime, Marzy recebeu uma mensagem de texto, sem sentido para os policiais, de Flordelis, por volta de meia-noite.

Às 3h da madrugada, meia hora antes do crime, Marzy estava fora da casa onde Anderson foi executado com mais de 30 tiros. Os policiais descobriram que ela ainda estava acordada e circulando. Às 3h30, o pastor Anderson do Carmo foi assassinado.