Deus respondeu nossas orações, diz mãe de jovem baleado

Deus respondeu nossas orações, diz mãe de jovem baleado
Julia Jackson clamou por um milagre para o filho baleado, em Wisconsin, EUA. (Foto: Sky News)

Quando Jacob S. Blake, de 29 anos, levou vários tiros de um policial em Kenosha na noite de domingo, uma das primeiras coisas que sua mãe cristã, Julia Jackson fez foi ligar para seu pastor na Igreja Insight em Skokie, Illinois.

“‘Acabei de receber um telefonema dizendo que meu filho foi baleado pela polícia várias vezes. Aconteceu'”, disse Julia ao pastor James E. Ward Jr. Ele que lembrou Jackson é membro da equipe de intercessão de sua igreja, em Wisconsin.

Eram por volta de 17 horas de um domingo, disse Ward, quando recebeu a ligação de Julia Jackson, enquanto ele viajava de carro com sua esposa e co-pastora, Sharon. A primeira reação de todos naquele telefonema foi recorrer à oração.

“Houve apenas uma resposta inicial para orar”, disse Ward. “A primeira coisa que fizemos quando ela se comunicou conosco, foi orarmos e pedirmos a Deus que poupasse sua vida. Essa foi a nossa oração exata. Objetivo número um: Senhor, poupe sua vida”.

E Blake viveu. Foi a confirmação, disse Ward, de que Deus ouviu a oração da igreja e eles acreditam que a sobrevivência de Blake é um “milagre”.

“Ouvir, mesmo na manhã seguinte e durante aquela noite, que ele havia sobrevivido e, relativamente falando, estava em condição estável, registramos isso como uma oração atendida. Começamos a comemorar e agradecer a Deus por ter poupado sua vida. Isso é um milagre. Você normalmente não leva tiros tantas vezes e sobrevive e ainda está relativamente na condição em que ele está. Não temos dúvidas sobre a fidelidade de Deus”, disse Ward.

Um advogado da família de Blake disse que, embora ele tenha sobrevivido, ele ainda está paralisado e será necessário outro “milagre” para andar novamente, informou a Associated Press.

Investigação

Uma declaração do Departamento de Justiça de Wisconsin, que está investigando o assassinato de Blake, disse que uma mulher ligou para o Departamento de Polícia de Kenosha, dizendo que seu namorado estava presente e não deveria estar na residência localizada no bloco 2.800 da 40th Street. De acordo com a mensagem de áudio obtida pelo jornal Madison365, Blake pegou as chaves da mulher e se recusou a sair.

Os policiais foram alertados de que Blake tinha um mandado de prisão criminal pendente. Os registros do tribunal mostram que Blake foi preso em 6 de julho e acusado de um crime de agressão sexual de terceiro grau, invasão de propriedade e conduta desordeira relacionada à violência doméstica naquela residência.

Quando os policiais chegaram ao local, encontraram Blake, que resistiu à prisão. Eles tentaram, sem sucesso, neutralizá-lo com um Taser e, em seguida, o levaram até seu veículo no local, apontando suas armas para suas costas, de acordo com um vídeo postado nas redes sociais. Blake abriu a porta do lado do motorista de seu veículo e se inclinou para frente. Enquanto segurava a camisa de Blake, o oficial Rusten Sheskey disparou sua arma de serviço sete vezes nas costas de Blake.

Funcionários do DOJ de Wisconsin disseram que Blake “admitiu que tinha uma faca” na noite de domingo. A arma branca foi encontrada no assoalho do lado do motorista do veículo.

Desde então, o tiroteio levou a violentos distúrbios nas ruas de Kenosha e a um renovado apelo nacional por justiça racial que está em andamento desde a morte de George Floyd, envolvendo também policiais de Minneapolis, Minnesota, em 25 de maio.

Pedidos de oração

Em uma coletiva de imprensa na terça-feira, a mãe de Blake, Julia Jackson, exerceu sua fé novamente, pedindo mais orações por sua família e pela nação, união, bem como o fim dos protestos destrutivos.

“Meu filho tem lutado por sua vida e realmente só precisamos de orações. Enquanto eu passava por aqui, pela cidade, notei muitos danos. Isso não reflete a luta de meu filho agora ou de minha família. Se ele soubesse o que está acontecendo até agora – a violência e a destruição – ele ficaria muito descontente. Então, eu realmente estou pedindo e encorajando todos em Wisconsin e no exterior a tirar um tempo para examinar seus corações”, disse ela.

“Cidadãos, policiais, bombeiros, clérigos, políticos, façam justiça a Jacob [Blake] neste nível e examinem seus corações. Precisamos de cura. Enquanto oro pela cura física, emocional e espiritual de meu filho, também oro antes mesmo pela cura de nosso país. Deus colocou cada um de nós neste país porque Ele queria que estivéssemos aqui ”, continuou ela. “Claramente, você pode ver agora que eu tenho uma linda pele morena. Mas dê uma olhada em sua mão e, seja qual for o tom, ela também é linda. Como ousamos odiar o que somos?”

“Ninguém é superior ao outro. O único Ser Supremo é o próprio Deus. Por favor, vamos começar a orar pela cura de nossa nação. Somos os Estados Unidos, estamos unidos?”, ela perguntou antes de terminar, “A América é ótima quando nos comportamos bem”.