Cristão espancado por extremistas hindus fica 2 semanas hospitalizado

O cristão Pappu Kumar, foi atacado pelos extremistas enquanto fazia suas orações noturnas com sua família

Cristão espancado por extremistas hindus fica 2 semanas hospitalizado
O cristão Pappu Kumar, se recuperando no hospital – Foto: Reprodução/Morning Star News

Um pai cristão de sete filhos no norte da Índia foi hospitalizado por mais de duas semanas depois que foi espancado por extremistas hindus com barras de ferro, interromperam suas orações noturnas com sua família em sua casa.

Pappu Kumar, que recebeu alta de um hospital na quinta-feira (13 de agosto), estava orando com sua família na aldeia Balawali, estado de Uttarakhand, às 21h30. em 28 de julho, quando uma multidão de pelo menos 10 extremistas hindus apareceu em sua porta, disseram fontes.

Os visitantes disseram a Kumar, de 40 anos, que colocou sua fé em Cristo apenas três meses atrás, para parar de orar, disse Mange Singh, pastor de uma igreja na região que tem discipulado a família de Kumar.

“Pappu respondeu que estava orando dentro de sua casa e isso não deveria incomodar ninguém”, disse o pastor Singh. “Mas a furiosa turba começou a atacar Pappu.”

A multidão abusou verbalmente de Kumar ao chutá-lo e espancá-lo com varas, cassetetes e punhos, dizendo-lhe repetidamente para parar de seguir a fé cristã, disse o pastor Singh.

“Eles intencionalmente jogaram Pappu na pilha de tijolos que foi colocada perto de sua casa, de modo que eles causariam dois ferimentos nele”, disse ele.

Kumar sofreu um grave ferimento na cabeça, uma perna quebrada e ossos fraturados na mão no ataque. Os agressores cederam apenas com a intervenção dos moradores, disse o pastor.

O irmão e o filho de Kumar pegaram emprestada uma motocicleta para levá-lo para a residência do pastor Singh, a 21 milhas de distância, à 1 hora da madrugada, e o pastor o levou às pressas para um hospital governamental em Haridwar a mais 13 quilômetros de distância. O pastor Singh disse que Kumar parecia tão espancado que duvidava que sobreviveria.

O hospital prestou primeiros socorros e encaminhou Kumar para o Instituto de Ciências Médicas da Índia (AIIMS) em Rishikesh, a mais 16 quilômetros de distância. Eram 4 da manhã quando eles chegaram ao AIIMS e Pappu foi internado na Unidade de Terapia Intensiva.

O pastor Singh disse que mais tarde tentou convencer Kumar a denunciar o ataque à polícia. Ele recusou, dizendo que teria que continuar morando e trabalhando na aldeia e que teria que viver com as consequências de registrar uma queixa policial pelo resto de sua vida.

“Se eu fizer isso, eles virão atrás da minha vida e me torturarão todos os dias por isso”, disse Pappu ao pastor.

Kumar estava com um parente próximo ao hospital para facilitar os exames de acompanhamento, disse o pastor Singh. Os sete filhos de Kumar e sua esposa têm entre 6 e 22 anos.

Perseguição Estratégica

Kumar é um dalit, conhecido como “intocável” de acordo com a tradição hindu, e sua família é a única cristã na vila composta por maioria de hindus de casta alta. Os dalits na Índia, são tradicionalmente atribuídos a tarefas que os hindus consideram poluentes ritualmente.

Mais de 90 por cento dos trabalhadores de saneamento e limpeza são dalits, e sua “intocabilidade” continua sendo parte integrante da Índia, embora tenha sido abolida constitucionalmente em 1950.

A Índia está classificada em 10º lugar na lista de perseguição da Portas Abertas, dos países onde é mais difícil ser cristão. O país ficou em 31º lugar em 2013, mas sua posição tem piorado a cada ano desde que Narendra Modi, do Partido Bharatiya Janata, chegou ao poder em 2014.