Celebridades nigerianas fazem campanha pelo fim da morte de cristãos

Celebridades nigerianas fazem campanha pelo fim da morte de cristãos
Celebridades cristãs clamam pelo fim violência na Nigéria. (Foto: Reprodução / Premier)

A nova onde de perseguição aos cristãos na Nigéria, chamou atenção de várias celebridades nigerianas que lançaram uma campanha pelo o fim das mortes de cristãos e violência contra as comunidades cristãs no sul do estado de Kaduna.

Vários artistas e músicos na Nigéria, publicaram vídeos curtos intitulada “Stop the Killings in Southern Kaduna” foi lançada no domingo com atores, comediantes, artistas musicais e executivos de negócios.

Desde janeiro, houve constantes assassinatos, saques, estupros e sequestros. Um dos artistas, Joel Amadi, falou sobre como perdeu seu pai, que estava entre as vítimas de um ataque da milícia Fulani em 24 de julho.

Amadi foi alertado durante o ataque e emitiu vários tweets pedindo ao governador do estado de Kaduna, Nasir el Rufai, que enviasse agentes de segurança baseados a menos de 2 km da vila para a área, mas nenhum veio. Amadi acrescentou: “Quero que o mundo inteiro ouça minha voz. Quero paz. Quero que a unidade reine.”

Campanha pelo fim da morte de cristãos na Nigéria

No domingo, Cristãos de todas as denominações vestidos de preto e se reuniram na Igreja Evangélica Vencendo Todos (ECWA) Good News Church Nyari High Cost na capital do estado Kaduna para o segundo ‘Culto do Domingo Negro’ organizado pelo Capítulo Estadual Kaduna da Associação Cristã da Nigéria (CAN).

O presidente nacional da União dos Povos Kaduna do Sul (SOKAPU), Hon Jonathan Asake, disse durante o culto: “Não há mentira maior do que a narrativa de que os assassinatos no sul de Kaduna se baseiam em confrontos entre agricultores e pastores”, e destacou que “75 por cento das vítimas “eram mulheres e crianças.

Ele também listou várias comunidades nas Áreas de Governo Local de Chikun e Kajuru (LGAs) que foram ocupadas após o deslocamento de seus habitantes pela milícia.

Entretanto, no sábado, vários jovens que se reuniram na capital do estado de Kaduna para um protesto pacífico organizado por “Nigerianos Preocupados” foram detidos e o protesto foi dispersado.

De acordo com o órgão de vigilância da perseguição Christian Solidarity Worldwide (CSW), os manifestantes, que estavam vestidos de preto com cartazes que diziam, “Basta, é o fim”, “Não podemos continuar assim” e “As vidas de Kaduna do Sul são importantes“, “O governo falhou conosco”, foram recebidos por policiais fortemente armados que chegaram em cerca de 15 vans Hilux.

O presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas, disse: “Os apelos por uma ação efetiva para lidar com a terrível situação no sul de Kaduna estão cada vez mais altos. A CSW dá as boas-vindas e ecoa aqueles na indústria de entretenimento nigeriana que falaram sobre a implacável perda de vidas.

“Continuamos a pedir intervenções internacionais urgentes, incluindo a convocação de uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU, com foco particular na atual crise no sul de Kaduna e no Estado de Plateau.

Também estamos profundamente preocupados que as autoridades nigerianas continuem a quebrar sobre os manifestantes pacíficos em flagrante violação da injunção do Supremo Tribunal Federal, da constituição nacional e das obrigações da nação ao abrigo da Carta Africana dos Direitos do Homem e dos Povos e do Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos.

“Exortamos o governo nigeriano a respeitar os direitos de reunião e associação pacíficas, a acabar com a perseguição daqueles que chamam pacificamente a atenção para as violações dos direitos humanos e, em vez disso, concentrar seus recursos no combate à multiplicidade de atores não estatais armados que estão aterrorizando seus cidadãos.”