Britânicos querem que a ajuda estrangeira à Nigéria dependa da proteção dos cristãos

Britânicos querem que a ajuda estrangeira à Nigéria dependa da proteção dos cristãos
Uma comunidade cristã na Nigéria,que foi alvo de ataques

Uma pesquisa no Reino Unido revelou que mais da metade dos britânicos são a favor que a ajuda estrangeira destinada à Nigéria, seja condicionada a medidas de proteção aos cristãos perseguidos do pais.

O estudo foi encomendado pela organização humanitária PSJ UK, que promove a construção da paz e da justiça social na Nigéria. Os resultados seguem uma nova onda de ataques e assassinatos no sul de Kaduna, visando comunidades cristãs.

No mês passado, cinco trabalhadores humanitários, a maioria deles cristãos, e uma empresa de segurança local foram sequestrados e executados por terroristas que postaram o vídeo da execução online para servir de aviso a outras pessoas.

De acordo com o PSJ UK, nos últimos 20 anos mais de 100.000 civis foram mortos pelos grupos radicais islâmicos Boko Haram, militantes do Estado Islâmico e Fulani, o que resultou no deslocamento interno e externo de 2 a 3 milhões de vítimas.

O presidente-executivo do PSJ UK, Ayo Adedoyin, disse ao Premier Christian News que a perseguição no país está se desenfreando. “Este é um problema que está se espalhando além da Nigéria, e se estendendo pela África Ocidental”. Disse.

Todo o Sahel agora se tornou a última fronteira para o terrorismo global. Todos os grupos terroristas que foram expulsos da Síria e do Iraque, estão se reunindo e se agrupando na região e é extremamente preocupante.

“O governo nigeriano não quer ou é incapaz de lidar com esta questão, por isso que ataques continua. A resposta do governo no terreno certamente não é adequada. Este não é um problema apenas da Nigéria. É realmente um problema internacional e seria realmente ótimo para o governo britânico liderar o caminho para fazer uma mudança.” Observa, Adedoyin.

A pesquisa realizada pela Savanta ComRes entrevistou mais de 2.000 adultos do Reino Unido e descobriu que 58 por cento dos entrevistados apoiam a imposição de sanções a indivíduos que foram considerados responsáveis ​​por abusos de direitos humanos.

Enquanto isso, 47 por cento apoiam a retenção de toda a ajuda estrangeira à Nigéria até que a perseguição aos cristãos chegue ao fim. Ayodoyin disse que os planos de ajuda do Reino Unido para a Nigéria precisam ser revistos com urgência.

“A verdade é que se seguirmos em frente e injetarmos qualquer ajuda à Nigéria, o dinheiro dos contribuintes, para construir escolas e um monte de outras instalações que estão sob ameaça de serem queimadas pouco tempo depois, então, praticamente desperdiçamos o dinheiro, desperdiçamos os esforços.

Acho que a segurança precisa ser criticamente alta. Sei que ouviremos do governo nigeriano e, na verdade, do governo britânico que eles estão trabalhando para tentar resolver o que está acontecendo na Nigéria.

Mas as evidências no terreno sugerem que não o suficiente está acontecendo. Se uma boa parte do nosso orçamento de ajuda puder ser direcionado para a proteção de comunidades vulneráveis, muitas das quais são cristãs, acho que seria uma coisa muito boa.

Desde o relatório do Bispo de Truro sobre a perseguição aos cristãos ao redor do mundo, encomendado pelo ex-secretário de Relações Exteriores Jeremy Hunt e o FCO, o interesse pela causa está crescendo rapidamente entre os políticos do Reino Unido.

O APPG do parlamento do Reino Unido sobre Liberdade Religiosa ou Crença Internacional publicou recentemente um relatório destacando as crescentes atrocidades que acontecem na Nigéria diariamente, levantando a questão de se há um ‘Genocídio Desdobrando’ na Nigéria contra cristãos e muçulmanos não-agradáveis.

A Nigéria ocupa o décimo segundo lugar na Lista da Portas Abertas 2020, dos países em que os cristãos são mais perseguidos. Em comparação, a Síria está em 11º e a Arábia Saudita em 13º, com o Iraque em 15º e o Egito em 16º