Mais de 600 cristãos estão presos injustamente na Eritreia

Muitos dos cristãos presos na Eritreia ficam até de 16 anos esperando por justiça.

Siga o Amigo de Cristo no - Google Notícias
Mais de 600 cristãos estão presos injustamente na Eritreia
Muitos dos cristãos presos ficam até de 16 anos esperando por justiça. (Foto: Getty Images)

A Eritreia não é um país que chama a atenção como outros países perseguidores ​​de cristãos, mas atualmente mantém mais de 600 cristãos presos injustamente por causa de sua fé em Jesus Cristo.

Segundo Todd Nettleton, da organização Voz dos Mártires, existe pelo menos 600 cristãos presos na Eritreia, um país no norte da África que é dominado pelo islamismo. O fator mais chocante nessa informação é que nenhuma prova concreta foi apresentada contra eles e nenhum deles foi formalmente acusado de qualquer crime, nem julgado. Eles “simplesmente desapareceram no sistema prisional”.

No entanto, Todd Nettleton disse ao site cristão ‘Faithwire’ que mesmo apesar da repressão e do grande número de cristãos presos injustamente na Eritreia, pode ver um vislumbre de boas notícias.

“Recebemos notícias recentemente de que dois prisioneiros cristãos foram libertados da prisão, autorizados a sair, autorizados a ir para casa”, disse ele.

No entanto, um desses prisioneiros recém-libertados teria que se esconder imediatamente para evitar ser preso novamente.

Segundo Nettleton, existe cristãos que estão presos nas cadeias da Eritreia em uma cela, há mais de 6.000 dias cerca de 16 anos, esperando por justiça. Além disso, relatos de maus-tratos com cristãos presos em containers.

Para apoiar esses prisioneiros, a Voz dos Mártires desenvolveu o site ‘PrisonerAlert.com’. Na página internautas de todo o mundo podem escrever cartas de incentivo para essas pessoas em sofrimento. A página traduz a carta que é enviada aos detidos. Não há garantia de que os prisioneiros a receberão, mas há vários outros motivos pelos quais ainda é importante enviar uma carta.

Para começar, às vezes os guardas leem as cartas e começam a “interroga-los” sobre o conteúdo da carta. Outro efeito colateral é que, quando as cartas começam a chegar, os funcionários começam a se preocupar. Eles sentem o peso do mundo os observando e temem represálias se um prisioneiro valioso morrer sob sua custódia.

Além das cartas de encorajamento, A Voz dos Mártires também pede que os cristãos de todo mundo orem por esses que estão presos na Eritreia, país que atualmente ocupa a 6° posição, segundo a “lista da Perseguição 2020” da Missão Portas Abertas.