Cristãos são obrigados escolher entre a fé ou ajuda da Covid-19

Muitos cristãos estão sendo solicitados a renunciar à sua fé em troca da ajuda emergencial do Covid-19.

Cristãos estão tendo que escolher entre a fé ou ajuda da Covid-19
As famílias em Bangladesh recebem ajuda alimentar durante o coronavírus pandêmico. Crédito da foto: Open Doors

Em alguns países, os cristãos estão sendo obrigado a escolher entre manter a fé ou receber  ajuda emergencial da Covid-19, pois as autoridades estão negando ajuda de emergência ao coronavírus, a menos que renunciem à fé.

A organização Portas Abertas do Reino Unido e da Irlanda disse que está “inundada” com relatos de cristãos em todo o mundo que estão sendo solicitados a renunciar à sua fé em troca da ajuda emergencial do Covid-19.

Cristãos de países como Bangladesh, Índia, Sudão e Malásia dizem que estão enfrentando um ultimato.

Jan Vermeer, diretor de comunicações da Ásia na Open Doors International, disse: “Fomos inundados com relatos de cristãos dizendo que suas comunidades só lhes dariam comida se voltassem à sua fé original.

“Enquanto alguns retornaram à religião dominante em seu país, outros contemplaram o suicídio.”

O pastor Sam, que coordena o trabalho da Portas Abertas no sudeste da Ásia, diz que na zona rural de Bangladesh as pessoas não podem sobreviver sem a ajuda da comunidade.

“As pessoas podem morrer ou se converter de volta ao Islã se não tiverem meios de sobreviver”, disse ele.

Enquanto isso, o Portas Abertas disse que os cristãos convertidos no Sudão enfrentam fome e desabrigados, a menos que voltem ao Islã.

Um pastor no Sudão Ocidental, que não pode ser identificado por razões de segurança, explicou: “Os fiéis de origem muçulmana precisam ser totalmente auto-suficientes porque não recebem apoio de sua família, tribo ou comunidade por causa de sua fé”, afirmou .

“Mas como as pessoas não conseguem trabalhar em confinamento, não têm dinheiro para comer e estão sendo expulsas de suas casas, incapazes de pagar aluguel.

“Quando os cristãos convertidos pedem ajuda à sua comunidade muçulmana, eles dizem que precisam abandonar o cristianismo se quiserem ser ajudados. É uma tragédia”.

Vermeer disse ao Premier Uk, que não é uma questão fácil de resolver, já que a perseguição contra os cristãos está embutida em algumas comunidades.

“Você precisa apelar aos governos desses países para que eles levem isso em conta. Mas é realmente profundamente arraigado em suas culturas, por isso é muito difícil mudar. E especialmente em vilas remotas … você precisa de mudanças realmente fundamentais”.

Na Malásia Oriental, um grupo de estudantes cristãos foi informado pela mesquita local de que eles teriam que se converter novamente ao Islã fazendo a oração da Shahada, para receber qualquer ajuda alimentar da comunidade durante o bloqueio do coronavírus.

Vermeer pediu aos cristãos que orassem para que as organizações humanitárias, levassem comida àqueles que estão sendo discriminados.