Pastor arrisca sua vida para levar o evangelho em áreas de risco, na Colômbia

Pastor arrisca sua vida para levar o evangelho em áreas de risco, na Colômbia
Pastores colombianos arriscam suas vidas para trazer o evangelho (Foto: Reprodução / Open Doors USA)

Todos os dias, o pastor Leandro Holguin anda pelas ruas das cidades e vilarejos da Colômbia, arriscando a vida para levar o evangelho e distribuindo pacotes de alimentos, máscaras, gel antibacteriano e Bíblias para crentes e não crentes.

O pastor Leandro* tem sido um facilitador dos programas Portas Abertas na Colômbia nos últimos 10 anos. Ele recentemente compartilhou sobre a situação nas áreas em que atua precisamos manter a localização dele em segredo para a segurança dele e de outras pessoas.

“Conseguimos levar comida para muitas pessoas. Quem não pode trabalhar está muito deprimido e enfrenta sérias dificuldades financeiras. Oramos por e com eles. Oferecemos-lhes orientação pastoral e compartilhamos a Palavra de Deus com cada um deles.”

Durante a pandemia, muitas pessoas acreditaram em Jesus, ele disse: “Isso me traz muita alegria”.

Devido à extrema necessidade, o governo da Colômbia concordou em permitir que os líderes da igreja se movimentassem livremente durante a quarentena para levar ajuda às pessoas necessitadas, especialmente aquelas em áreas remotas do país. Mas a cada visita, o pastor Leandro e outros líderes da igreja colocam suas vidas em perigo.

Em lugares como Tumaco, na costa do Pacífico, e nas regiões da Amazônia e Catatumbo, na fronteira com a Venezuela, esses líderes comunitários correm risco não apenas de infecção, mas também de grupos armados ilegais que controlam essas áreas.

No entanto, a necessidade de material bíblico e apoio emocional é tão grande nessas áreas que pastores e outros voluntários da igreja decidiram se aventurar todos os dias, geralmente em estradas rurais desertas e perigosas para chegar às comunidades mais remotas e vulneráveis.

“Aproveitamos o decreto do governo que nos permite avançar durante a quarentena”, disse ele.

As pessoas nessas comunidades remotas controladas por grupos rebeldes vivem em extrema necessidade e medo. Eles têm medo de adoecer com COVID-19 e de serem mortos por esses grupos se contraírem o vírus.

A pastora Amanda Santander* está pregando na região de Catatumbo, no nordeste do país, há mais de 20 anos. Por 10 desses anos, ela esteve envolvida com os programas da Portas Abertas na Colômbia. A pandemia traz um novo conjunto de desafios, diz ela.

“As pessoas não apenas têm medo do controle imposto por esses grupos ilegais, mas também temem ser infectadas com coronavírus e depois serem mortas por rebeldes”, disse ela à Portas Abertas.

A Portas Abertas criou o programa “Ágape em seu lar” para auxiliar os cristãos perseguidos na Colômbia a permanecerem firmes em Jesus durante a pandemia. O programa fornece apoio alimentar e pastoral para 300 famílias que vivem em partes remotas do país, onde os cristãos sofrem incessantemente de perseguição e assédio religioso.