Muçulmanos queimam casa e espancam esposa de cristão convertido, na Uganda

Muçulmanos queimam casa e espancam esposa de cristão convertido, na Uganda
Muçulmanos queimam casa e espancam esposa de cristão convertido, na Uganda (Foto:Representativa)

Um ex-xeique professor muçulmano no leste de Uganda que secretamente se tornou cristão no dia de Natal, decidiu contar às duas esposas sobre sua nova fé no mês passado. Continue lendo para entender o imbróglio.

O cristão convertido Marijan Olegang, convidou seu pastor para sua casa na vila de Obokora, no condado de Obokorasub, distrito de Kibuku, na noite de 14 de maio. Ele então convidou o pastor a explicar o evangelho para pudesse liderar sua família à fé em Cristo, Olegang disse ao Morning Star News.

Uma de suas esposas confia em Cristo como Senhor e Salvador, e a outra recusou, disse ele.

Três semanas depois, a esposa que recusou deixou a casa e contou a um líder muçulmano a conversão da família ao cristianismo, incluindo três filhos. O líder muçulmano disse a outros muçulmanos que o sheik havia deixado o Islã, disse Olegang.

Os moradores muçulmanos em 8 de junho cercaram a casa de Olegang por volta das 23h30. e coloque em chamas, ele disse. Olimau, sua esposa e três filhos de 10, 12 e 14 anos fugiram pela porta dos fundos.

“Infelizmente, quando estávamos fugindo no meio da noite, os agressores conseguiram agarrar minha esposa e espancá-la com gravetos, ferindo a mão esquerda, as costas e a perna direita, mas graças a Deus meus vizinhos cristãos a resgataram”, disse Olegang ao Morning Star. Notícia.

“Quando estávamos fugindo, ouvi um dos muçulmanos, chamado Hamuza, dizendo que a casa deveria ser destruída”. Disse, ele.

Sua esposa estava em estado estável depois que os vizinhos a levaram ao Hospital Regional de Referência de Mbale, disse ele. No entanto, ele e sua família se refugiaram na casa de outro pastor enquanto ela continua sendo tratado.

“Precisamos de orações neste momento difícil, pois os muçulmanos querem me matar”, disse Olegang ao Morning Star News. “Minha outra esposa está planejando minha morte.”

Olegang, que chegou à fé cristã depois que um negócio de colegas lhe falou sobre Cristo, disse que o incêndio destruiu objetos de valor e outros pertences em sua casa no valor de cerca de 10 milhões de xelins (US$ 2.670).

Cristão espancado

Também no distrito de Kibuku, os residentes muçulmanos de Kasasira, no dia 25 de maio, bateram em um convertido cristão com paus e queimaram sua casa por se recusar a renunciar a Cristo, disse ele.

Mbulakyaalo Badawuyi, 27, morador da vila de Kasasira West Ward disse que muçulmanos da área que ele conhecia bateram à sua porta por volta das 19h e se recusou a abrir.

“Eles destruíram a porta e entraram, mas eu escapei pela porta traseira”, disse Badawuyi ao Morning Star News por telefone. “Eles me seguiram, se apossaram de mim e começaram a me bater. Os vizinhos vieram quando eu gritei por ajuda.

Um vizinho o levou a uma clínica médica próxima, disse ele. Enquanto ele estava sendo tratado, ele disse que os mesmos muçulmanos – identificados como Nabutono Saida, Kulemuzamiru, Kapesa Musitafa, Ganda Amisi e Mugooda Abudallah – voltaram para sua casa e incendiou-a, disse ele.

Badawuyi disse que chegou à fé em agosto 4, 2019, depois de um sonho sobre Cristo, quando ele dormiu durante as orações noturnas com sheiks e outros muçulmanos em uma mesquita.

“Adormeci e tive um sonho em que Jesus [Cristo] me disse que estava no lugar errado e que, portanto, eu deveria procurar Seus pastores que me ensinariam todas as Suas palavras sagradas, depois de aprender a ir e pregar. essas palavras para os outros ”, ele disse.

Durante o sonho, ele ouviu pessoas gritando “Aleluia!” ele disse. Mas no sonho, eu também repeti o mesmo, e isso me fez gritar na mesquita: ‘Aleluia!'”, Disse Badawuyi ao Morning Star News.

“Os sheiks e outros muçulmanos que me ouviram gritar ficaram muito surpresos, e um veio e me perguntou: por que você está gritando com aquele aleluia? Eu respondi que vi Jesus. Quando ele chamou outros para virem ouvir, eu pulei e saí, e já que era noite eles não me pegaram”. Lembra, ele.

Ele foi a um pastor que orou por ele e confiou em Cristo, disse ele.

Os ataques no distrito de Kibuku foram os mais recentes de muitos casos de perseguição de cristãos em Uganda que o Morning Star News documentou.

A constituição de Uganda e outras leis preveem a liberdade religiosa, incluindo o direito de propagar a fé de alguém e converter de uma fé para outra. Os muçulmanos representam não mais de 12% da população de Uganda, com altas concentrações nas áreas orientais do país.