Evangélicos vão ao STF para anular proibição de cultos online

Evangélicos vão ao STF para anular proibição de cultos online
Evangélicos vão ao STF para anular proibição de cultos online

A Associação Nacional de Juristas Evangélicos recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para anular decretos municipais que proíbe transmissões de cultos online pela internet. As informações são do Antagonista.

Na ação, cita normas baixadas em várias cidades como; João Monlevade (MG), Macapá (AP), Serrinha (BA), Rio Brilhante (MS), Armação dos Búzios (RJ), Bebedouro e Cajamar (SP) que suspenderam qualquer tipo de atividade religiosa nas igrejas, mesmo sem aglomerações.

A entidade diz que fiéis têm ido aos templos para buscar assistência social e apoio espiritual na pandemia. Mesmo assim, relatam que fiscais têm proibido até mesmo reuniões de grupos de orações, dentro de residências.

“Municípios têm vedado, sem ressalvas, o exercício de qualquer atividade religiosa e o funcionamento dos templos religiosos, o que tem reverberado até mesmo sobre as transmissões virtuais, executadas por um grupo pequeno de ministros”, diz a ação.

O ministro da Corte Celso de Mello, foi escolhido por sorteio para relatoria da ação.