Cruz cristã de 1.200 anos é descoberta no Paquistão

Esta é a primeira evidência de uma cruz sagrada no Baltistão.

Cruz cristã de 1.200 anos é descoberta no Paquistão
Os moradores observam a enorme cruz cristã em Kavardo, no Baltistão. (Foto: pamirtimes.net )

Uma cruz cristã de mármore com cerca de 1.200 anos, foi descoberta no sopé da cordilheira de Karakoram, no norte do Paquistão. Segundo os pesquisadores, a cruz encontrada fornece evidências da chegada antecipada do cristianismo na região.

O imenso mármore que foi chamado de “Cruz Kavardo”, descoberto no sopé do Himalaia, significa que as comunidades cristãs estavam presentes no norte do Paquistão desde o início da Idade Média

Três pesquisadores da Universidade do Baltistão, liderados pelo vice-chanceler Muhammad Khan, e montanhistas locais encontraram a cruz cristã medindo 2,1 por 1,8 m próximo ao acampamento base na região predominante muçulmana na fronteira com China, Afeganistão e Índia.

A “Kavardo Cruz” como foi batizada, é considerada a maior descoberta no subcontinente e estima-se que pesa cerca de quatro toneladas.

“Louvado seja o Senhor, isso me deixa muito alegre”, foi a reação de um líder cristão local paquistanês.

“Será um grande incentivo para os cristãos no Paquistão mostrarem que nossa fé estava aqui muitas, muitas gerações atrás, antes da chegada do Islã. Esta é uma notícia incrível! Estou ansioso pelo que o resultado da pesquisa revelará sobre o cristianismo no Paquistão”, disse ele.

As estimativas iniciais colocam a cruz entre 1.000 e 1.200 anos. A Universidade do Baltistão planeja continuar a pesquisa em parceria com instituições europeias e norte-americanas e historiadores locais, para determinar sua idade precisa. Isso confirmaria a presença antiga do cristianismo na região do Himalaia, onde os cristãos são hoje uma minoria marginalizada e perseguida.

O local, perto da vila de Kavardo, já foi na rota comercial “Silk Road” que ligava China e Paquistão. A equipe de pesquisa observou que a maneira como a cruz foi esculpida é semelhante à escultura budista tradicional, sugerindo que os cristãos que a fizeram podem ter sido convertidos.

Essa área na região que agora é o norte do Paquistão, costumava ter comunidades budistas e cristãs há muito tempo.

Segundo o especialista em história bizantina, Béatrice Caseau, a cruz é uma evidência de que comerciantes do Oriente Médio trouxeram o cristianismo para esta região montanhosa. O historiador de Sorbonne acrescentou:

“Mesmo que não tenhamos as fontes para saber com certeza por onde elas passaram, sabemos que os cristãos do mundo persa, usando a língua siríaca, chegaram à região do Indo entre os séculos V e VIII, até a chegada de Islamismo.”

Traços de cristãos da antiga igreja do Oriente, datados do século VII, foram encontrados na China e intercâmbios culturais, incluindo religião, teriam ocorrido em toda a região.