Cristãos nigerianos pedem ao governo pela libertação de bispo sequestrado

Os sequestros ocorrem em meio à crescente violência contra a comunidade cristã na Nigéria.

Cristãos nigerianos pedem ao governo pela libertação de bispo sequestrado
Bispo Joseph Masin (Foto: Reprodução)

A Associação Cristã da Nigéria emitiu um comunicado pedindo aos funcionários do governo que trabalhem para obter a libertação do bispo Joseph Masin, que atua como presidente da unidade estadual de Nasarawa, depois que homens armados o sequestraram de sua casa na semana passada.

De acordo com a CBN News, os captores de Masin andavam de moto e o arrebataram de sua casa na capital do estado da Lafia na quarta-feira passada. De acordo com o veículo de notícias da Nigéria This Day , eles exigiram 20 milhões de Naira da Nigéria, que é perto de US $ 52.000, como resgate.

No comunicado, a Associação Cristã da Nigéria apela ao governo por ajuda, porque eles não têm opções para perseguir seus captores por conta própria.

A declaração dizia: “Como não temos uma polícia própria e estamos tentando ao máximo evitar situações caóticas, estamos exigindo que o governo federal e o governo do estado de Nasarawa garantam a segurança e a libertação imediata do bispo Masin. antes que seja tarde demais.”

A declaração também lembrou aos líderes que é a segunda vez que um líder da Associação Cristã da Nigéria é sequestrado este ano.

“Não aceitaremos perder outro presidente estadual, como perdemos o falecido presidente da CAN, Rev. Lawan Andimi, no estado de Adamawa, que foi terrivelmente assassinado por terroristas enquanto nossas agências de segurança pareciam impotentes, impotentes e despojadas de seus armaduras.”

Militantes sequestraram Andimi em janeiro. Eles o executaram depois que a comunidade cristã não foi capaz de levantar dinheiro suficiente para satisfazer as demandas de resgate. Segundo o The Christian Post , fontes disseram que o pastor também se recusou a renunciar à sua fé em Jesus.

Os sequestros ocorrem em meio à crescente violência contra a comunidade cristã na Nigéria. Os radicais Boko Haram e Fulani mataram pelo menos 1.000 cristãos em 2019. Em 2020, militantes islâmicos já mataram 620 cristãos.

Muitas agências internacionais reconheceram que a vida está se tornando mais perigosa para os cristãos na Nigéria. O Departamento de Estado dos EUA adicionou a Nigéria à sua “lista de observação especial” para países que toleram violações graves à liberdade religiosa em dezembro passado.

Além disso, a Portas Abertas listou a Nigéria em 12º na lista de países onde os cristãos sofrem mais perseguições.