Cristão degolado na Índia pediu à esposa para não desistir da fé

O jovem cristão de, 27 anos, havia se convertido ao cristianismo em 2016.

Cristão antes de ser degolado na Índia pediu para esposa não desistir da fé
O cristão Kande Mudu de 27 anos foi degolado por radicais hindus (Foto: Reprodução / CSW)

A perseguição de cristãos na Índia está em ascensão com a notícia de que um cristão que foi degolado por radicais hindus em uma aldeia no norte de Jharkhand. O jovem cristão de, 27 anos, havia se convertido ao cristianismo em 2016.

De acordo com o ‘Christian Solidarity Worldwide’ (CSW), Kande Mudu, 27, foi atacado e degolado por um grupo de homens armados no distrito de Khunti, no estado indiano de Jharkhand, em 7 de junho.

Os familiares de Mudu eram os únicos cristãos que viviam em sua aldeia. Eles enfrentaram ameaças a suas vidas e sobreviveram a um ataque violento em sua casa há dois anos.

O cristão Mudu, segundo informa a CSW, foi assassinado quando um grupo armado invadiu sua casa, arrombando a porta da frente e o atacou. Durante o ataque brutal, o jovem teve sua garganta cortada.

Bindu Mudu, sua esposa relatou à CSW: “Depois de ouvir os homens na porta da frente, meu marido sabia que nossas vidas corriam perigo e que aqueles homens tinham más intenções”.

Ainda de acordo com a CSW, antes de ser degolado o cristão, Mudu então teria dito a sua esposa que ele poderia ser morto, mas pediu que mesmo assim, ela “permaneça forte e nunca desista de sua fé em Jesus”.

Bindu Mudu e as duas filhas do casal conseguiram fugir da vila após o assassinato de Kande, já que nenhum de seus vizinhos daria abrigo a uma família cristã.

A investigação policial sobre o assassinato de Mudu está em andamento. Nenhum suspeito foi preso por causa desse crime.

A organização cristã “Christian Solidarity Worldwide”, prestou condolências para a esposa do Sr. Mudu, Bindu, e sua família pela perda desse marido, pai e filho. O Sr. Mudu foi assassinado por causa de sua fé.

Nós da CSW estamos cada vez mais preocupados com o assédio, e sofrimento implacáveis ​​que os cristãos na Índia enfrentam, simplesmente por exercer seu direito de praticar uma religião diferente da maioria de seus concidadãos, afirmou o diretor executivo da CSW, Mervyn Thomas.

“A constituição da Índia afirma claramente que ‘todas as pessoas têm o mesmo direito à liberdade de consciência e à o direito de professar, praticar e propagar livremente sua religião”, acrescentou.

A cultura do ódio contra as minorias religiosas e a impunidade que cerca os ataques contra elas estão se espalhando por toda a Índia. Isso deve ser tratado com urgência, e instamos as autoridades de Jharkhand e o governo central a desenvolver um plano de ação.

Cristãos e outras minorias religiosas devem se sentir seguros e poder viver em suas casas e ter meios de subsistência como cidadãos iguais, sem medo de violência ou assédio de qualquer segmento da comunidade , concluiu Thomas.

Perseguição na Índia

Enquanto isso, o ministro-chefe da Índia, Manohar Lal Khattar, disse que o governo do estado de Haryana implementaria um projeto de lei contra a conversão religiosa pela força, casamento ou por incentivo com o objetivo específico de adotar uma religião.

A International Christian Concern (ICC) relata que Haryana se tornará o nono estado indiano a aprovar esta lei na assembléia legislativa, capacitando os radicais hindus a atacar e intimidar os cristãos na região.

O ministro-chefe disse que várias medidas estão sendo tomadas pelo governo para manter a irmandade e a harmonia social entre as comunidades. No entanto, este projeto de lei dividirá o povo de Haryana que viveu em união por séculos, de acordo com o TPI.