Ex-prisioneira cristã relata horríveis torturas de cristãos na Coreia do Norte

Mesmo torturada, cristã pregou o evangelho de Jesus em prisão da Coreia do Norte

Ex-prisioneira relata horríveis torturas de cristãos na Coreia do Norte
Ex-prisioneira cristã relata horríveis torturas de cristãos na Coreia do Norte

Hoje vamos conhecer o testemunho de *Hea Woo, uma ex-prisioneira cristã na Coreia do Norte, que passou por perseguição a vida toda, mas ainda manteve sua fé e serviu a Jesus Cristo mesmo sendo torturada em um campo de prisioneiros.

Hea Woo, havia passado por uma jornada de vida cheia de traumas. A grande fome em 1997 a fez assistir a filha, que tinha vinte e poucos anos, morrer de fome. E seu marido, que se tornou cristão após fugir para a China, foi pego pela polícia secreta e foi morto em um campo de prisioneiros anos depois.

“Fiquei chocada ao saber que meu marido havia se tornado cristão”, disse Hea Woo à OpenDoors, “mas instintivamente sabia que ele havia encontrado a verdade”.

Ela também escapou para a China em breve e encontrou Jesus Cristo em sua vida através de uma série de eventos que influenciaram a fé de seu marido. Como seu marido, ela foi pega e repatriada para a Coreia do Norte e foi forçada a entrar em um campo de prisioneiros.

+ Coreia do Norte mantém cerca de 50 mil cristãos definhando nas prisões

Hea relembra as experiências de horror no campo de prisioneiros. “morte tão desenfreada que corpos ficavam no chão por três ou quatro dias sem serem limpos; abuso físico e mental que o deixava doente na boca do estômago”.

Mesmo quando teve que suportar tortura todos os dias na prisão, ela decidiu fazer algo perigoso, mas muito semelhante a Cristo, espalhando a Palavra de Deus para os outros prisioneiros. Deus deu a ela o coração de contar a seus companheiros prisioneiros sobre Jesus, e isso marcou o início da comunhão secreta da igreja no meio do campo de trabalho na Coreia do Norte.

“Os versículos da Bíblia que eu me lembro de memória deram esperança aos outros. Eles também viram o Espírito trabalhando em mim. Eu me destacava entre os outros prisioneiros porque os ajudava. Às vezes eu dividia meu arroz com os doentes. Ocasionalmente, lavava-me as roupas deles também. ”

“Deus me usou para levar cinco pessoas à fé. Tentei ensinar a eles o pouco que sabia sobre Jesus. Não tinha acesso a uma Bíblia no acampamento. Mas aos domingos e no Natal, nos reuníamos fora da vista.” dos guardas. Geralmente, isso estava no banheiro. Lá fizemos um pequeno culto. Ensinei a eles os versículos da Bíblia e as músicas que eu conhecia. Cantamos quase inaudivelmente para que ninguém nos ouvisse”, ela compartilhou.

Ela plantou a Igreja onde ninguém esperaria, no meio da prisão, onde poderia ser facilmente torturada e perseguida até a morte. Ela mostrou ao mundo a verdadeira fé que todo cristão deveria se esforçar para possuir.

© Amigo De Cristo – Site de notícias cristãs do Brasil e Mundo.