Atividades de igrejas na China continuam suspensas por mais um mês

As autoridades estão usando a epidemia como uma desculpa para reduzir a liberdade religiosa

Atividades de igrejas na China continuam suspensas por mais um mês
Atividades de igrejas na China continuam suspensas (Foto: Joyce Hon/Igreja Reno da China)

À medida que a China retoma a normalidade do país afetado pelo vírus, todas atividades de igrejas, vão continuar suspensas por mais um mês, segundo informou os órgãos que dirigem a Igreja Católica sancionada pelo Estado.

Em 26 de abril, a Associação Patriótica Católica Chinesa e o fórum de seus bispos, em toda China anunciaram o adiamento nas atividades religiosas. No entanto, as medidas tem como objetivo de reduzir as reuniões para combater o coronavírus.

Durante o mês de maio, nenhuma atividade da igreja ou peregrinações tradicionais devem ocorrer. Todas as dioceses e paróquias foram instruídas a suspender todos os programas de peregrinação, o que normalmente acontece em maio. A abertura de seminários e institutos religiosos com função de treinamento também está atrasada.

O UCA News relata que alguns católicos suspeitam que o regime comunista esteja usando a pandemia como uma cobertura para suprimir a religião, pois a medida ocorre em meio a reivindicações administrativas de dissipação do COVID-19.

Uma fiel Católica de Pequim, Li Xue questionou a decisão de cancelar as peregrinações. Ela disse à UCA News, que várias atrações turísticas não apenas reabriram, mas também se envolveram em várias promoções.

Esses locais turísticos estão obviamente mais lotados e concentrados do que os centros de peregrinação. Observou, a fiel.

O governo tem controle sobre a religião. As autoridades estão usando a epidemia como uma desculpa para reduzir a liberdade religiosa, e essa é a parte assustadora. Disse ela.