Pesquisa diz que voltar à igreja é prioridade para os brasileiros

Maioria dos brasileiros querem voltar às as igrejas após a quarentena

Pesquisa diz que voltar à igreja é prioridade para brasileiros após quarentena
Igreja Assembleia de Deus Caçador SC (Foto: Divulgação/Radiocacanjure)

Pesquisa levantada pelo Instituto Ideia Big Data, diz que voltar à igreja após a quarentena é prioridade para os brasileiros. Atualmente quase (60%) dos brasileiros estão em isolamento social.

Segundo a pesquisa, um em cada três brasileiros pretende “frequentar” a igreja na mesma semana em que forem retomados os cultos religiosos. No entanto, outros 14% voltariam aos templos em até 15 dias e 22% esperariam um mês.

Além de igrejas, atividades como salões de beleza e barbearias também foram os locais que os brasileiros mais querem retomar. Mas, cerca de 24% dos entrevistados querem cuidar da estética na mesma semana em os salões forem liberados e 19%, em até 15 dias.

Outros 26% voltarão a consumir esse tipo de serviço em no máximo 1 mês.

Outras atividades

Na sequência de atividades do Ideia Big Data, estão lanchonetes com 18% de retomada na mesma semana da liberação e 19% em até 15 dias e restaurantes segue com (15% e 18%, respectivamente).

Os shopping centers vêm depois: 14% dos entrevistados pretendem voltar aos centros de compras na semana de reabertura e 16% esperariam até 15 dias, enquanto 32% disseram que retomariam o hábito em até 1 mês.

Os últimos na lista são as casas noturnas, bares e cinemas. Praticamente dois terços dos entrevistados pelo Ideia Big Data disseram não saber quando voltaram às casas noturnas, 52% deram a mesma resposta em relação aos bares e 46%, em relação aos cinemas.

Cerca de 22% pretende voltar aos bares na semana de reabertura ou em até 15 dias, mesmo índice agregado dos cinemas. Mas em relação às casas noturnas, a soma dessas duas respostas foi de 14%. Por sua vez, as festas e comemorações têm índice de 26%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 22 de abril, via aplicativo mobile, e ouviu 1.667 brasileiros de 18 anos ou mais. * A pesquisa foi encomendada pela CNN Brasil.