Menino de 14 anos luta contra o surto da Covid-19, em Uganda

A mensagem de William é “deixe o povo seguir o que o governo disse para evitar o coronavírus”

Menino de 14 anos luta contra o surto da Covid-19, em Uganda

Além dos esforços do governo contra o surto do coronavírus (COVID-19) em Uganda, um menino de 14 anos de idade, decidiu entrar na luta. Junto à Visão Mundial, o garoto ajuda na conscientização e proteger as populações nos campos de refugiados contra o vírus.

William Ade, um estudante primário do quarto ano, e também um embaixador da prevenção coronavírus COVID-19 em sua comunidade no assentamento de refugiados de Omugo, onde se move pela vila com um megafone compartilhando mensagens de saúde e segurança para os filhos.

Localizada no distrito de Arua, o assentamento de Omugo hospeda milhares de refugiados, principalmente do Sudão do Sul. “Estou alertando às pessoas que, devido ao coronavírus, não deve haver movimento nem reunião em um só lugar”, diz William.

“Não é possível jogar futebol, se você ver alguém voltando para casa, mesmo que seja do Sudão do Sul, deixe-o primeiro lavar as mãos antes de cumprimentar as pessoas”. Disse, William.

+ Médicos louvam a Deus por pacientes curados da Covid-19, em Uganda

Assim como milhares de estudantes, o menino William não pode ir à escola devido à ordem estrita de bloqueio emitida pelo governo no início de março. Foi quando o país confirmou seu primeiro caso de coronavírus.

Casos confirmados

O total de casos confirmados de Uganda agora é de 58, em 20 de abril de 2020, com 38 recuperações. A mensagem de William é “deixe o povo seguir o que o governo disse para evitar o coronavírus”.

Para a Visão Mundial em Uganda, crianças e outros grupos vulneráveis em contextos frágeis estão entre os que são bastante afetados pelo surto. No assentamento de Omugo, a Caridade Cristã supervisiona o funcionamento geral do centro de recepção.

Eles lançaram uma resposta de emergência COVID-19 de US $ 1.010.000 em 2 de abril de 2020 para apoiar as comunidades de refugiados no Nilo Ocidental e 53 distritos em que operam.

“Estamos em parceria com o Ministério da Saúde e governo para estabelecer centros de isolamento e fornecer alimentos. Além, de treinar as equipes de saúde da aldeia (VHTs) para realizar a sensibilização porta a porta com megafones”. Disse a World Vision em comunicado.

Embora a organização esteja respondendo ao coronavírus COVID-19 em todos os países, sua ‘Resposta de Emergência COVID-19’, está focada em 17 países prioritários iniciais e deve atingir 22,5 milhões de pessoas, metade delas crianças, nos próximos seis meses.

Moses Odur, Gerente de Assuntos de Emergência Humanitária, diz que a Visão Mundial de Uganda precisa de US $ 3,5 milhões. Quantia para promover medidas preventivas para retardar a disseminação do COVID-19. Para, apoiar sistemas de saúde e trabalhadores e fornecer apoio multissetorial às crianças e suas famílias durante e após A crise.