Ativista cristã é libertada da prisão no Irã

Ativista cristã é libertada da prisão no Irã
Ativista cristã iraniana, Mary Fatemeh Mohammadi (Foto: Article 18)

A ativista cristã Fatemeh Mohammadi, foi libertada da prisão de Qarchak, em Terã capital do Irã, e usou as redes sociais para agradecer os apoiadores por sua preocupação durante seus 45 dias de detenção.

Na rede social, Mary Fatemeh escreveu: “Sou grata a todos vocês, queridos amigos que se preocuparam e acompanharam minha situação com preocupação”, disse ela, em sua página do Twitter.

A jovem Fatemah de 21 anos, foi presa no mês passado no Irã, perto da Praça Azadi, onde manifestantes protestavam contra o governo do Irã por ter abatido um avião de passageiros da Ucrânia. Por várias semanas, seu paradeiro era desconhecido.

Publicidade

Mary ficou incomunicável por um mês após sua prisão, antes que a organização jurídica de advogados Article18, finalmente pudesse confirmar que estava sendo mantida na prisão de Qarchak, ao sul de Teerã.

No dia seguinte, o site de notícias em língua persa HRANA relatou que, durante sua detenção, Mary havia sido tão espancada por oficiais do sexo masculino e feminino, e que as contusões ficaram visíveis por três semanas.

Mary foi forçada a ficar sentada em um corredor por horas em clima extremamente frio, em frente aos banheiros, e só recebeu comida 24 horas após sua prisão.

Protestos ilegais

Mary foi acusada de “perturbar a ordem pública participando de uma manifestação ilegal” que inicialmente recusou a fiança, apesar de sua família se esforçar para levantar os 30 milhões de tomans necessários (US $ 2.250), equivalente a mais do que o salário médio anual sob as atuais restrições econômicas do Irã.

No último dia 26 de fevereiro, Mary recebeu uma nova fiança e foi libertada. Houve pedidos de libertação de presos políticos, devido preocupação de que o coronavírus pudesse espalhar rapidamente dentro das prisões superlotadas do Irã.

O colega prisioneiro cristão Ramiel Bet-Tamraz também foi libertado da prisão no mesmo dia que Mary, três semanas antes de sua libertação programada.

Mais sobre Mary Fatemeh

Mary é um raro exemplo de ativista cristã que ainda vive no Irã e já cumpriu seis meses de prisão por suas atividades cristãs, pelas quais foi condenada por “ação contra a segurança nacional” e “propaganda contra o sistema”.

O caso de Mary ganhou atenção internacional, inclusive o presidente dos EUA, Donald Trump, citando sua prisão durante um discurso nacional de alto nível.

Seguir o Amigo De Cristo no Google Notícias

Deixar cometário no Facebook: