Três cristãos são libertados da prisão no Irã

Os cristãos iranianos agradecem os três homens que foram libertados e pedem oração

Três cristãos são libertados da prisão no Irã
Os cristãos Asghar Salehi (esquerda) e Mohammad Reza Rezaei ( foto: Middle East Concern )

Três cristãos iranianos foram libertados da prisão antecipadamente, Asghar Salehi e mais dois outros dois cristãos, Mohammad Reza Rezaei e outro apenas conhecido como “AT”, segundo informou o diretor de advocacia do Article18.

Os cristãos foram presos em 2018, quando agentes iranianos de inteligência invadiram as casas de Asghar, Mohammadreza e AT. Asghar foi interrogado por três dias, sendo mantido com os olhos vendados a maior parte do tempo.

Ele foi então transferido para a prisão de Eghlid no Irã, por mais oito dias. Ele foi libertado sob fiança após enviar uma licença comercial como garantia.

O juiz se recusou a permitir que Asghar falasse, avisando que ele estava sendo monitorado e que ele teria que concordar em interromper todas as atividades cristãs. Em setembro de 2019, os três homens foram convocados novamente para no tribunal.

Os três cristãos foram condenados a seis meses de prisão, acusados por propaganda contra a República Islâmica do Irã através da promoção do cristianismo sionista”, de acordo com o artigo 500 do código penal.

O diretor de advocacia do Article18, Mansour Borji, observa que os homens só terão liberdade condicional sob a condição de que não repitam seus “crimes”.

As sentenças foram confirmadas em recurso. Todos os três cristãos foram detidos na prisão de Eghlid. Eles pediram perdão e libertação antecipada, que foi concedida após apenas dois meses das sentenças de seis meses.

Asghar foi libertado em 2 de fevereiro, os outros dois devem ser libertados neste mês. O amigo de Asghar comenta que é improvável que esse perdão seja concedido nas cidades maiores ou para os cristãos que, como normalmente é o caso, são condenados por motivos políticos ou de segurança nacional.

Os cristãos iranianos agradecem os três homens que foram libertados e pedem oração